segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Uma carta pra tia Alice

Hoje vou escrever uma carta pra tia Alice. Recorro as mal traçadas linhas para enviar-lhe minhas  notícias e saber das suas. Tia Alice  não sabe usar o computador, não tem endereço eletrônico e nem intimidade com a tecnologia. Quando o carteiro chega em seu portão com aquela camisa amarelinha e grita o seu nome a minha tia fica ciente dos textos que escrevo aqui, das angústias e alegrias que vivo no dia-a-dia.

Tia Alice, tia Cristina (a freira) e o Vitor

Tia Alice não anda bem de saúde e sinto saudade das suas risadas, das suas histórias. Mas saudades mesmo sinto do seu carinho, dos seus abraços e daquele seu jeito de me tratar como se eu ainda fosse uma menina. A minha tia é como aquelas tias açucaradas que estragam os sobrinhos e que a gente nunca esquece.

Quando eu era crianças disputava a atenção da tia Alice com os outros primos. Ela era casada com um português, o tio Marco e ele era tão carinhoso quanto ela. Não tinham filhos, aliás demoram a tê-los e então toda a atenção deles estava voltada para nós, os sobrinhos. O tio Marco tinha um carinho muito especial por mim e ele  justificava toda essa atenção dizendo que eu fui a primeira pessoa da família da tia que ele conheceu.  E lembro-me desse dia como se fosse hoje. Foi quando  eles se encontraram no centro da cidade e ele ficou tão encantado comigo e me presenteou com um pacotinho de balas que trazia dentro dele um cartão com flores desenhadas, que guardei por muito tempo. Tio Marco faleceu em 2002, mas nunca esqueço desse tio tão querido e amigo que fez parte da minha infância.

Tia Alice, Vitor, Eduardo (meu primo e filho mais novo da tia Alice) e eu

Até hoje quando chego na casa da tia Alice, no Rio de Janeiro,  para as férias, sinto-me em casa e meus dias tornam-se uma festa constante. As suas gargalhadas engraçadas contagiam quem está por perto e ninguém fica indiferente ao jeito Alice de ser.

A tia sempre foi minha cúmplice, minha amiga, minha incentivadora e defensora. Defendia-me das palmadas da minha mãe, do meu padrasto e se por algum motivo, não tivesse sucesso em sua defesa, dividia o castigo comigo. Por ser assim, certa vez, quando eu tinha três anos, dormimos juntas no chão porque fiz xixi na cama (castigo de padrasto). Entrou na minha frente em diversos momentos e tomou a chinelada em meu lugar e foram poucos os dias que fiquei no colégio interno depois que ela foi me visitar e testemunhou com seus próprios olhos minha tristeza. Alíás ela e meu tio Marco foram me buscar, naquele último dia, no Educandário Santa Cruz, na Piedade, onde nunca mais voltei.

Eu tia Alice e Ana Maria - uma das primas que disputavam comigo o carinho da tia

Hoje vou escrever uma carta pra tia Alice pra dizer da minha saudade,  dos preparativos para as férias de janeiro em sua casa e enviar cópia dos últimos textos que postei no blog. Porém não posso esquecer de pedir pra que ela se cuide melhor, siga as recomendações médicas, diminua o sal da comida, faça caminhadas regulares, ignore, pelo menos um pouco, as guloseimas em nome da sua saúde. Entretanto, num  rompante de egoísmo, vou escrever tudo isso  porque não consigo pensar na minha vida sem tê-la por perto. Porque sem a tia Alice, tenho certeza, a vida pode ser tornar muito sem graça e perderei mais um colo onde posso  repousar minha cabeça e chorar sem nenhuma vergonha. Papel perfumado e caneta na mão, inicio:

Querida tia Alice...


Aos queridos e queridas que passam por aqui deixo o meu abraço carinhoso.

17 comentários:

Misturação - Ana Karla disse...

Gi é bom demais ter parentes com quem nos identificamos tanto.
Espero que sua tia ALice, se recupere logo.

Aqui está quente, eu diria, não como o verãozão, mas é sol o tempo todo. As vezes nubla e cai uma chuvinha, mas o sol logo retorna.

Obrigada o carinho.
Xeros

Tati Pastorello disse...

Ai Gi, que texto liiindo!! Que tia fofa!! E eu, egoísta também, faço votos de que tia Alice fique bem, muito bem, para que você possa vir ao Rio em janeiro e possa saracotear por aqui, assim teremos enfim nosso papo para um dia todo!!
Beijos.

Chica disse...

Tão linda e carinhosa !Como é bom isso!beijos,chica

Paula Betzold disse...

Gi que lindo! adoro cuidar dos parentes tb!!! tia alice vai adorar a carta! beijos

Isadora disse...

Minha amiga, linda a carta que será enviada a Tia Alice, e que esta a alcance bem melhor. É importante que ela se cuide, sim, pois muitos a amam e querem disfrutar da alegria de sua companhia, por muito tempo.
Tenho certeza de que o carteiro, ao chegar e gritar o nome dela, verá alguém com um largo sorriso.
Um beijo

Nilce disse...

Que lindo, Giovanna.

Também tive uma tia maravilhosa assim. Única irmã de minha mãe, sempre foi nossa protetora. Se foi há alguns anos e muito nova por sinal.
Sinto muito a falta dela.
Que saudades! Chorei aqui.

Muita saúde à Tia Alice!

Bjs no coração!

Nilce

Deia disse...

Tia Alice é mais do que uma tia - é uma fada madrinha, daquelas que sonhamos quando meninas. Que benção ter sua própria fada madrinha, Gi! Sem varinha de condão mas com o coração bondoso, maior do que o mundo! Escreva sim, para tia Alice, e diga a ela que no mundo virtual no qual você trafega com maestria, ficamos muito emocionados de sermos apresentados a ela, e que mandamos beijos, muitos deles, e o desejo de que ela se recupere para continuar enfeitando a casa com seu sorriso fácil e sua alegria contagiante. Um beijo, Deia.

Heloísa disse...

Giovanna,
Que post bonito.
Como é bom ter essa ligação tão forte e tão amorosa com um familiar.
E imagino a alegria da sua tia ao receber carta tão carinhosa.
Beijo.

Obrigada por sua visita e comentário no meu blog. Aqueles telefones eram lindos. O preço aproximado era de R$150,00.

Isadora disse...

Gi, eu estou lendo a Soma dos Dias e é maravilhoso! É isso mesmo ela escreve a filha contando o que aconteceu após a sua passagem.
Tô amando! E recomendo.
Beijinhos

Crica Viegas disse...

Tão boas as lembranças da vida!
Adorei vero carinho tão especial que sentes por "tia Alice"...desculpe a intimidade..rs

Fátima disse...

Bom ter um colo para se aconchegar, uma lugar para se querer estar, e uma endereço para se comunicar.
Seu carinho via sedex deve ser um alento ao coração lindo da tia Alice, mande um beijo carinhoso para ela, combinado!

Fique com Deus, e ótima semana.

p.s.: Como andam as coisas com seu filho , tenho incluído em minhas orações o bom entendimento entre mães e filhos.

Manuela Freitas disse...

Que ternura de post Gi, fiquei muito sensibilizada, como eu gostava de ter tido uma Tia Alice!
Bonita e muito carinhosa a tua forma de escrever sobre a tua Tia e outros familiares. Desejo muita saúdeà Tia Alice.
Beijinhos,
Manú

Teresinha Ferreira disse...

Olá Giovanna,
Que lindo!!!!
Oue carinho gostosooooooooooooo...Nem todo mundo pode ter esse privilégio de ter uma Tia Alice.
Tudo de bom
Bjs mil

Glorinha L de Lion disse...

Que carta de amor mais linda pra essa tia demais de fofa! Eu queria ter uma tia assim. Não tenho mais ninguém, tios ,madrinha, pai e mãe, todos se foram...Aproveita bem sua tia Alice, quando estiver com ela dê muitos abraços e beijos e em janeiro quando vier vamos marcar aquele encontro, pra nos desvirtualizarmos, tá? Beijo grande minha doce amiga, de doce coração. beijão pra tia Alice tb!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Que bonito relato de amor entre vc e sua tia. as lembranças devem te emocionar de verdade.

Acho que ela, ao receber e ler a cartinha, ficará tão feliz que sentirá que recebeu um prêmio. Esse carinho fará muito bem a alma dela, vai incentivá-la a melhorar, a ficar bem e cuidar melhor da saúde... vc vai ver.

Escreva sim. Fala mesmo do tanto que ela é importante pra vc e por isso você quer vê-la bem e feliz.

bjs

Lu Souza Brito disse...

Oi Gi,

Eu não tenho uma tia Alice assim de sangue, pois minhas tias de verdade sao super secas e distantes, mas tenho outras que ganhei quando me casei e que estão tão dentro do meu coração que nao consigo ficar longe delas.
Tia Alice vai ficar muito feliz com sua carta, com certeza.
É bom demais ter alguém assim com quem podemos contar.

Beijooooossss

JOANA CAMPOS disse...

Nossa amiga, que historia heim? e que força da sua mãe!

Parabéns pela historia de vida!

Bjs sempre aqui no DE MIM PRA VC...

Joana Campos