sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Blogagem Coletiva Sentimentos - Raiva

Gente, tenho tentado abolir esse sentimento da minha vida. Sem nenhuma demagogia, tenho tentado mesmo. Já disse que minha raiva dura menos de dois dias, ainda assim dura muito. Em momentos de raiva, falo coisas que não devo, faço coisas que abomino, por isso tenho tentado me livrar dela. Num momento de raiva, disse coisas ao meu filho que nunca deveria ter dito, como por exemplo, se não fala comigo, procura outro lugar pra morar. Ainda disse, dá um jeito de você mesmo pagar sua faculdade. Como me arrependo dessa falta de controle pois essas palavras soaram pesadas demais no coração magoado de um adolescente.  Sou eu a mãe, portanto tenho que ser mais forte e ponderada, pensar e repensar todas as coisas, os atos e as palavras. Hoje estou tentando me livrar de vez desse sentimento. É quase impossível, mas tenho tentado me controlar.

Acho que a gente amadurece com a vida e com o tempo, e o tempo está passando pra mim e tem sido um grande remédio pra tantas coisas. Mesmo assim,  ainda hoje não consigo controlar a raiva quando um monte de serviço me espera. Serviços domésticos principalmente, e quando tenho que dar conta de tudo, me descontrolo. Marido ajuda, mas no tempo dele, com a calma dele e eu quero tudo pra ontem. Nesses dias descontrolados, ninguém me segura.
A raiva é sentimento importante, de protesto, frustração, quando nos sentimos ameaçados, impotentes, desrespeitados. Acho que a raiva nos impulsiona a lutar por direitos, a querer mudar certas situações. Mas no fundo não é um sentimento bom e pesquisadores garantem que sentimento freqüente de raiva é tão ruim para o coração como fumar, comer muita gordura saturada, ser sedentário... Pode também causar distúrbios no aparelho digestivo, sem dizer que pode ser considerado um desequilíbrio psicológico.

Mas as vezes é quase impossível não sentir. Ontem mesmo senti uma raiva grande quando Glorinha me contou sobre a falsa ONG que publica livros, tudo mentira pra enganar as pessoas na net. Ai que raiva! Mas deixo pra minha querida Glorinha um grande abraço e muito carinho esperando que ela fique em paz.


Ramalhete de Alfazema para Glorinha do Café com Bolo

24 comentários:

António Rosa disse...

Parabéns pelo desabafo! Gostei do seu post. Parabéns.

Tati Pastorello disse...

Oi Gi, acho que todos temos e a maioria de nós tenta lidar melhor com este sentimento. Eu também meto os pés pelas mãos e falo coisas que sei que vão ferir. Depois me arrependo, peço desculpas, mas aí... ai já foi, né?
Também estou indignada com o que aconteceu com a Glorinha e a Milla (e outros que não conhecemos). Que absurdo! Como gente assim pode existir? Como podem dormir, à noite, sabendo que feriram outras pessoas? Assustador.
Beijos.

Glorinha L de Lion disse...

Gi, escrevi um coment pra vc, será que sumiu? Ou ainda não aprovou? Aqui pra mim apareceu serviço inválido...ai esse blogger. Vou aguardar pra ver se sai. bjs.

Cantinho She disse...

Ei querida bela participação, só agora fiquei sabendo o que aconteceu com a Glorinha... afff como uma parte da raça humna é cruel e nessas situações é impossível não sentir raiva, mas ela vai conseguir atarvessar com vitória tudo isso... beijo, beijooo em seu coração!

Glorinha L de Lion disse...

Xi, não saiu não. Então vou escrever novamente. Eu disse que vc é muito parecida comigo, até no marido lerdo e eu querendo tudo depressa, pra ontem...hehe tive que rir, mesmo cheia de tristeza, tristeza doída e funda, mas vou melhorar. Obrigada meu bem por todo o seu carinho, se não fossem meus amigos, nem sei. beijo enorme.

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Eu achei muito sincera sua postagem.
Realmente a gente com raiva é algo péssimo. Espalhamos o pior pelo mundo, falamos absurdos, ofendemos e magoamos. Tb estou aprendendo a contar até 100 se necessário.

Sabe... eu tenho muita fé na força da Glorinha. Não foi dessa vez, não era pra ser. Mas ela vai achar um caminho ainda melhor, eu acredito!

bjs e bom dia

Chica disse...

Pouco apouco vamos lidando com ela, mas ela aparece sempre pra nos cutucar...beijos,chica

Deia disse...

Oi Giovana! É, descobrimos, da pior maneira, que a raiva só faz mal a nós mesmos. E quanto perdemos nesses acessos enfurecidos... Se apenas respirássemos um pouco e déssemos o tempo de repensarmos tudo que nos deu tanta raiva... Será que a raiva é daquele pessoa mesmo ou da situação em que ambos se colocaram? tenho certeza que sua raiva nunca foi do seu filho, e sim da situação que se apresentava naquele momento. E, ao colocarmos na balança, nossa saúde vale mesmo toda essa raiva? Ainda que a raiva seja normal, uma descarga elétrica a qual não podemos evitar!! A diferença é escolhermos alimentá-la ou não... Que aprendamos a contar até sessenta, como disse lá no comentário para a Lúcia!!Um beijo! Deia.

Manuela Freitas disse...

Olá querida Gi,
Por outras palavras o seu comentário se ajusta ao que eu penso. Com raiva pode-se fazer muita besteira, mas a experiência de vida que temos, nos torna muito mais tolerantes e moderados,
Beijinhos no seu coração,
Manú

Isadora disse...

Ah Gi queremos tanto e batalhamos pelos bons sentimentos e somos pegos pelos nem tão bons assim e acabamos por falar ou fazermos coisas das quais nos arrependemos, ainda que muitas vezes as aituação ou pessoa mereça, um chega para lá.
No fundo isso fere a nós mesmos. Que os anos e os caminhos percorridos nos ajudem a ter mais serenidade e que tenhamos muita calma em muitas horas!
Tenho certeza de que tudo ficará bem com vocês!
Um beijinho

Nika disse...

Oi, difícil né lidar com raiva? Já fui assim tbm er ficar com raiva e saia falando minhas "verdades",doi no outros e na gente tbm o sentimento de culpa. Mas o importante é essa sua preocupação de mlehorar e de mudar esse já é o sinal que o amor sempre prevalece na sua vida.
Bjs

Macá disse...

Giovanna
Que bom né que a maioridade nos traz mais calma e serenidade.
Muito bom o seu desabafo, porque ao escrever e reler acho que você consegue agir diferente em outro momento de raiva.
Eu nunca fui de falar muita besteira nesses momentos, foram raras av vezes que fiz isso, mas entendo que cada um tenha a sua maneira de lidar com ela.
O duro é se arrepender depois não é?
Mas se respirarmos fundo e contar pelo menos até 10 pronto! O momento já passou.
beijos

Nilce disse...

Oi, Giovanna

A vida nos prega peças.
Talvez você pense que tenha feito a coisa errada e num momento pode descobrir que ficar se maltratando não vai adiantar.
Com raiva falamos muito mesmo.Eu sou assim, falo demais, magoo e me sinto magoada. Mas logo vejo que não vale a pena ficar sofrendo e guardando sentimentos tão ruins.
Tudo vai passar, querida, e logo você verá que o que aconteceu era para o crescimento de vocês mesmos.

Bjs no coração!

Nilce

Beth/Lilás disse...

Pois é, minha amiga, a raiva nos tira do sério às vezes, mas como seres pensantes e equilibrados, logo voltamos à razão, o importante é não deixar que ela vire o pior que é o ódio, este sim, acaba com a gente.
Quanto à Glorinha, estou acompanhando de perto toda esta tramóia que armaram pra cima dela e da Mila, mas elas são tão boas escritoras que vão dar a volta por cima e em breve estarão estourando nas livrarias, vamos ver.,
beijinhos cariocas

Astrid Annabelle disse...

Olá Giovanna!
É bom poder escrever sobre o que fizemos e assim transmutar e repensar sobre o impulso que tivemos. Nada acontece por acaso...nada mesmo.
Sobre o que aconteceu com a Glorinha e a Milla eu fiquei indignida.
Muita maldade mesmo. Mas pensando bem melhor assim do que estar envolvido com gente desse quilate.
Belo post..bela participação.
Um beijo
Astrid Annabelle

JOANA CAMPOS disse...

Amiga é só o meu que não atualiza?
vc colocou a listagem pra atualizar por postagem ou por título? mas de qualquer forma me ajuda com isso vai...se descobrir o que posso fazer me fale....não é só aqui que acontece isso....


Beijos

Joana Campos

orvalho do ceu disse...

Oi,Giovana
Essa falta de controle nos deixa de cabelo arrepiado. Que bela ilustração!
Vc foi muito delicada com a Glorinha enviando um ramalhete tão lindo pelo que ela passou.
Gentileza gera gentileza!
Tenha ótima tarde com muita paz.
Abraços fraternos

Lúcia Soares disse...

Giovanna, você é de uma delicadeza que custo a crer que pode ter um "acesso" de raiva.
Espero que seu filho possa ponderar e relevar. Afinal, somos boas a maior parte do tempo. Porque apenas uma ação má nos condena? Não acho justo!
Gosto demais do seu jeito de se abrir sem devassar tudo. Gosto muito de você!
Beijos!

Teresinha Ferreira disse...

Olá Giovanna,
Obrigada pelo elogio, mas saiba que não sou tão novinha assim. rsrs
Bacana seu post. Difícil não sentir raiva, não é mesmo?
Bom final de semana...Com muito relax.
Bjs mil

Açuti disse...

Oiii Gi,

Sabe, eu tb me sinto descontrolada qdo com raiva, e tb falo coisas que me arrependo tanto, mas tantoooo.
Ando respirando muito fundo qdo sinto muita raiva, as vezes até da certo, mas infelizmente nem sempre, mas acho que já estou num bom começo....
bjksss e tenha um excelente fim de semana.

Socorro Melo disse...

Oi, Giovanna!

Aqui, pra visitinha de praxe, kkk
Olha amiga, que raiva de ter raiva, viu? Sou muito sensível, suscetível, melhor dizendo, a este sentimento. Normalmente a minha raiva passa rápido também, mas machuca muito. Sou tão impulsiva, e também digo e faço o que não devo, que depois da crise fico arrasada.
Seu texto está ótimo.
Tudo isto está nos ajudando a melhor lidar com nossos sentimentos, não é mesmo?

Beijos
Socorro Melo

Luma Rosa disse...

A convivência no dia a dia não é fácil e aos pais, porto seguro dos filhos, a agressão com palavras é pior do que a física.
Gi, você não estava falando com o seu filho quando disse tudo isto para ele, estava desabafando mágoas que guarda para si. Talvez o seu filho esteja se sentindo o para-raios da casa. Quando algo que não gosta acontecer, saia de perto e evite se aborrecer. Vê que depois do seu desabafo, as palavras dão eco dentro da sua cabeça? Você está alimentando essa raiva. Vamos fazer um exercício, topa? Entre agora no seu banheiro, feche a porta para ficar sozinha. Olhe para o espelho e tente se lembrar de todas as palavras que disse ao seu filho, tente lembrar da entonação que usou na voz e tente falar e fazer as expressões do seu rosto diante do espelho, como se tivesse falando com ele, mas preste atenção em cada detalhe da sua expressão. Gostou do que viu? Se não gostou e tiver vontade de chorar, chore, mas não saia de frente do espelho. Olhe para as suas lágrimas, olhe para a sua dor! Quando acontecer de se aborrecer novamente, tente se lembrar do seu rosto diante do espelho. Se quiser prossegui e falar com qualquer pessoa, evite a entonação da voz e a expressão do rosto que não gostou no espelho. Tente falar com você mais vezes. Este é um exercício simples, que aos poucos traz grande alívio para a nossa alma.
Todos nós temos os nossos momentos de explosão, mas nem todo mundo compreende isto. Também tenho os meus e já cheguei ao ponto de socar meu travesseiro várias vezes. A raiva não pode ser reprimida, mas o objeto não pode ser sempre o mesmo. Quero que você tenha paz, assim como todos na sua casa. Essa paz pode ser conquistada!! Beijus,

Elaine Barnes disse...

Rs... Mulher sanguínea! Acho legal você assumir e desabafar. Esse compartilhar alivia bastante né?
A raiva dá movimento,só que é preciso respirar fundo e não tomar atitudes quando estamos nela.Controlar essa emoção fortíssima e canalizar para o trabalho e realizar o que estávamos enrolando pra fazer é um caminho pra ela.Quando não controlamos essa forte emoção realmente despejamos em cima de alguém e depois nos arrependemos.
Quando aceitamos e assumimos assim como você,já é um grande passo para aprener a controlar. Muito bom o post. Voc~e é uma graça. Adorei! Montão de bjs e abraços

Gina disse...

Giovanna,
Estive viajando nesses dias e só agora pude ler com calma seu texto.
A raiva tem dessas coisas. Quando a gente perde o controle faz e diz coisas de que se arrepende. Mas você disse pro filho que foi num momento de raiva, que não é o que você deseja?
Canalizar a raiva é importante mesmo, conter é dificílimo!
Beijo grande no seu coração.