quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Quem é que te faz feliz?

Ônibus é local excelente para rezar, quase um templo, rsrsrsrs. Ônibus é um lugar ótimo pra ler, pelo menos pra mim  pois tem gente que detesta. Ônibus e longas distâncias,  bom lugar para pensar. Então aproveitando o lugar e o tempo fiquei pensando ontem, na volta pra casa, sobre a importância de ser feliz.
Lembrei que visitando blogs acabei encontrando um texto que dizia que durante um seminário perguntaram para uma esposa, com o marido do lado, se o seu companheiro a fazia feliz. Ele já sabia a resposta pois durante tantos anos de casamento ela nunca havia reclamado de nada e todos os amigos e conhecidos comentavam como os dois viviam bem. Para a perplexidade do marido a mulher respondeu um sonoro NÃO. E complementou: meu marido nunca me fez feliz e não me faz feliz. EU SOU FELIZ! O fato de ser feliz ou não, não depende dele e sim de mim. Veja o texto aqui

Achei esse texto genial e fui embora pensando nele. Pensei como está em nossas mãos a felicidade e ao mesmo tempo, como colocamos a nossa felicidade na mão do outro. Pensei que apesar de todos os pesares, de todas as lágrimas, de tantos problemas, tenho buscado ser feliz  por mim mesma, e tenho procurado a felicidade em coisas pequenas, gestos simples e até em meias palavras.


Claro que eu poderia ser muito mais feliz. Se eu tivesse mãe, se meu pai tivesse me amado desde hora da minha concepção ou do momento em que nasci, se ele tivesse me assumido, se eu tivesse terminado a faculdade mais cedo, se o meu filho mais velho fosse menos fechado e mais carinhoso, se o meu filho mais novo tirasse notas mais altas no colégio, se meu marido entendesse sem tantas explicaões as coisas que quero, se não tivessem roubado meu carro, se, se, se...

Mas percebi que possso ser feliz com o que tenho. Sou feliz pela memória e pela história que minha mãe deixou. Sou feliz por meu pai ter reconhecido que sou sua filha. Sou feliz porque terminei a faculdade, com meus filhos presentes na minha formatura, ouvindo a mãe oradora falar da alegria de estar ali e da importância dos estudos na vida da gente. Sou feliz porque meu filho é estudioso, responsável, querido e talentoso. Sou feliz porque consegui (na verdade conseguimos) pagar o carro, prestação por prestação, mesmo sem usufruir do mesmo (não tinha seguro o danado). Sou feliz porque meu marido é um homem bom, honesto, carinhoso e companheiro, apesar de, as vezes, complicado.

Descobri prazer e felicidade em coisas simples, como ter um bom livro nas mãos, fazer amigos no blog, bordar uma toalha, arrumar a minha casa, fazer o meu trabalho....e tantas coisas mais que nem consigo enumerar.

Tive a infeliz ideia de comentar esses pensamentos com uma pessoa (só agora percebi que esquisita ela é ou eu talvez seja esquisita e nem me dei conta) e ela me diz: como pode alguém andar de ônibus e ser feliz ou achar que é feliz. Só você mesmo Giovanna! Ai que raiva, pra que fui falar disso com ela? Mas lembrei da minha amiga, a reporter Simony Leite, talentosíssima, linda, que uma vez me falou: já fui tão feliz comendo pão com mortadela. Bom, esse texto ficou parecendo copiado da Eleanor H. Porter (do livro Pollyana - a do jogo do contente), paciência. Nunca canso de dizer que tenho vocaçãopra ser feliz. Mas acho que o melhor mesmo é descobrir que pra ser feliz preciso de muito pouco. Se você teve paciência de ler isso tudo, responda-me: "quem te faz feliz?".

20 comentários:

Vivi disse...

Oi Giiiiii
Desculpe-me a ausencia...rs
Nossa... comecei a ler seu texto e me assustei com tantos SEs rsrs
mas contianuando a ler fui percebendo a calma em seu coração... a tranquilidade em aceitar o q Deus nos põe a frente... e ELE sabe qual o tempo não é mesmo Amiga!!!!
e nossaaaa... meu post hj serviu-te bem hein!!!!
bjs

Deia disse...

Oi Giovanna! Esse seu texto hoje está de arrancar lágrimas. Porque é bonito a gente ler que não é preciso de fio a pavio para sermos felizes. Não é preciso ter alguém ao nosso lado apenas para fazermos cena. Que existem coisas dolorosas em nossas vidas sim, mas que elas não suplantam as alegrias. Olha, por muito tempo fui feliz ao andar de ônibus, porque ele me levava ao trabalho que eu tanto gostava. Não consigo ler em meio de transporte nenhum (devo sofrer de labirintite leve! rsrs), mas, minha distração sempre foi olhar para os apartamentos das pessoas enquanto meu ônibus passava. E criava histórias, famílias felizes, pais chegando em casa, crianças brincando, mães colocando a mesa... Eu, como você, já fui muito feliz andando de ônibus. E, se não fosse seu texto hoje, eu ia passar a vida sem me dar conta disso!
Um beijo muito querido, Deia.

Paula Betzold disse...

Gi, que lindo texto... como vc mesma disse, mtas vezes nossos posts se entrelaçam... e é verdade...há tempos venho pensando que preciso de mim mesma pra ser feliz! adorei teu texto! beijos

Cris França disse...

ser feliz é um estado de espírito, adorei o já fui tão feliz comendo pão com mortadela...rs

realmente é preciso tão pouco para ser feliz, é preciso querer

bjs querida

Socorro Melo disse...

Oi, Giovanna!

É muito importante refletirmos a respeito da nossa felicidade, de vez em quando, assim como você fez, para não corrermos o risco de ir passando pela vida desapercebidos. Concordo que a nossa felicidade só depende de nós, é um estado de espírito e de conscientização.
Muitos outros fatores externos contribuem, mas, é preciso que estejamos no controle, sempre.
Eu, como você, acho que as coisas mais simples, os gestos mais inocentes,e as pessoas, é que me fazem feliz.

Beijos
Socorro Melo

Isadora disse...

Minha amiga, eu ando de ônibus para cima e para baixo como você e engraçado é que muitas vezes em meio ao trajeto, eu leio e como leio, eu penso: na minha vida, na vida daqueles que amo, travo discussões silenciosas comigo mesma, me questiono e me parabenizo. Já chorei, discretamente, nesse mesmo trajeto, já ri sozinha de algo que lembrei.
Sim, sempre podemos ser mais felizes, mas embora difícil, acredito que não devemos depositar toda as nossa felicidade na mão de alguém. Ninguém merece esse fardo, ou compromisso.
Outro dia falei sobre isso e a conclusão que chegamos é que sim, quem está ao nosso lado junto com nossos filhis representam um percentual grande que nos faz feliz, mas temos sim, nossos momentos únicos de felicidade.
Um beijo

Lata de Luxo disse...

Ola,Giovanna.
Eu sempre gosto muito dos seus textos,mas nesse voce se superou,amiga,pois esta lindo demais,e tao profundo que faz com pensemos que nao e mesmo preciso muita coisa para sermos felizes.Pa ra mim basta a minha familia estar bem e unida,com saude e se ajudando mutuamente,como sempre fizemos.Quanto ao pao com mortadela...rsrsr,se eu tivesse aqui um pao frances bem fresquinho recheado com mortadela,hummm,seria maaaiiss feliz ainda,rsrsr.Brincadeiras a parte,tambem sou feliz por natureza e nao me deixo abater por comentarios de pessoas(como sua amiga)que tentam me puxar para baixo.Grande beijo.zenaide storino.

Misturação - Ana Karla disse...

Gi, exatamente como o texto.
Ninguém me faz feliz.
A felicidade está aqui dentro querendo sair a todo instante.
Vou controlando e sendo feliz nos momentos certos.

Mas bem sei que há algumas pessoas ao meu redor que se esforçam além do permitido para me fazer feliz.
Mas sou assim também: feliz com pão e mortadela.

Xeros

Eliene Vila Nova disse...

Ai que lindo e você está certíssima, o negócio é ser feliz, viver um dia de cada vez e acreditar que amanhã será melhor que hoje.
E amiga amei a sua cadeira,ficou luxo, amei amei amei.
Adoro-te.
Beijos

Tati Pastorello disse...

Como assim se eu tive paciência? Eu degustei cada palavra! Está uma delícia de texto, e tanta verdade, e tanto motivo bom e importante para ser feliz. Que pena que sua amiga acha que não pode ser feliz no ônibus, conte para ela que assim, nem de limosine ela é capaz de sê-lo, por que felicidade é estado de espírito e independe de bem materiais!
Você sabe o caminho e ensina a quem quer aprender. Mas não adianta jogar pérolas aos porcos, não é isso? Beijos. AMEI!!!

Barbie Girl disse...

A felicidade é o caminho e não o destinho.

Nos temos um dia novo, todos os dias, para decidir se queremos ser felizes ou não.

E claro, não depende de ninguém!!

beijos

TATA... disse...

A Ana Karla passou la no meu cantinho e me falou q vc tinha postado algo semelhante ao que postei...
Estamos em sintonia amiga!!!!!

Isso ai vamos ser feliz na simplicidade do dia a dia!!!
e viva a alegria!!!!

estou te seguindo assim te vejo sempre!!!
prazer em conhecê-la!!!

bjs

Chica disse...

Que legal e a felicidade deve vir de nós e não dependermos de outros pra sê-lo,né?beijos,tudo de bom,chica

Nilce disse...

Oi, Giovanna

Também postei este texto no meu blog há uns tempos atrás.

Que post esse teu, hein, menina?
Adorei ler. Estava mesmo precisando disso com tudo o que tem me acontecido.

Repito o tempo todo também e agradeço: SOU FELIZ! OBRIGADA SENHOR!
E muito.
Estou feliz agora em um momento de tristeza, mas amo tudo o que tenho e nada vai tirar a minha felicidade. Não vou deixar. Não mesmo!

Se tenho que passar por isso, algum motivo tem. Tenho que enfrentar. Não é nada fácil.

Precisamos, além de força, de Deus, de amigos, do marido (se ele não é o motivo, rsrsrs, não é o meu, rsrs), dos filhos, da empregada, do pessoal do trabalho, do ônibus, da van, do ponto de ônibus.
Enfim, de todos que estão à nossa volta ou mesmo atrás da telinha e de onde vêm os motivos para continuarmos a viver e sermos muito FELIZES.

Você até pode ficar muito triste, mas nunca deixe que alguém te deixe infeliz.
Afaste-se!

Bjs no coração!

Nilce

Sonia Barbosa Guzzi disse...

Querida Giovanna eu te entendo. É mesmo muito bom sentir que nossa vida está cheinha de sininhos da sorte apesar dos imprevistos.Sabe de uma coisa, não ligo quando me acham esquisita.
Não te acho esquisita, só uma pessoa muito inteligente com integridade para aproveitar todos os recados de Deus.
Bjs linda, em divina amizade.

Bloggirls disse...

Você é um doce mesmo.Muitas coisas simples me fazem feliz,mas, quando encontro o sorriso do meu neto pra mim....Aiaiaiai,me sinto a pessoa mais completa do mundo!
Montão de bjs e abraços
Elaine Barnes

Sonia Notaro disse...

Oi Giovanna,adorei seu post, bem intenso,envolvente com sua forma simples de expor o que te deixa feliz ou como vc permite a presença da felicidade na sua vida. Eu, tenho a felicidade dentro de mim, eu faço as minhas escolhas,se permito expor a felicidade em pequenas ou grandes coisas, mas ela depende da minha capacidade de querer ser feliz, de saber aceitar situações complexas, e mesmo assim ter o meu ser feliz, é a superação que aos poucos foi me ensinando como agir, e vou seguindo aprendendo a cada dia e sendo feliz por mim mesma.
Aproveita seu dom de escrever e põe pra fora, que eu estou adorando seus post.
Bjs meus, Sonia Notaro.

Beth/Lilás disse...

Giovanna que lindo seu texto e desabafo!
Essa criatura acéfala não disse nada que pudesse deixar-lhe triste, afinal ela é acéfala, oras! hehe
E é isso aí, a gente é que se faz feliz e não os outros.
beijocas cariocas

Jacinta Dantas disse...

Ler com o ônibus em movimento...Ai meu Deus! que dificuldade. Difícil até para pensar na possibilidade. Sempre tive essa dificuldade, mas aqui, o que importa mesmo é a essência do texto. A felicidade. Vc sabe o quanto eu admiro sua capacidade de viver "de bem com a vida", transformando os "SE". E isso, em si, já é um olhar para novas possibilidades. E cá prá nós, felicidade, para mim, é de fato um estado de... é busca constante. E, você, minha irmã, é sempre uma buscadora.

Bjs

Eu Mulher disse...

Depois de ver o que todas as blogueiras escreveram eu fiquei sem palavras, hehhe.
Esse é um texto totalmente de auto ajuda que nos faz pensar melhor no nosso dia a dia.
Respondendo sua primeira pergunta lá no blog sobre a flor de sal, pesquisei melhor e achei isso aqui http://vilamulher.terra.com.br/flor-de-sal-4-1-75-153.html

Respondendo sua outra pergunta " quem te faz feliz", eu respondo que quem me faz feliz é o Senhor Jesus Cristo que sempre me mostra o melhor caminho a seguir.

Beijos e obrigada pelo belo texto.