sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Blogagem Coletiva - Sentimentos

DESEJOS

Quem sabe não seria a hora de falar da falta de desejo? Fiz essa pergunta a mim mesma ontem quando pensava nessa blogagem coletiva proposta pela minha amiga Glorinha . Olha eu aí andando na contra mão. Não é que eu seja uma pessoa sem sonhos, plenamente realizada, daquelas que nada desejam porque têm tudo. Mas preciso falar dessa experiência que vivi e da dificuldade que foi encontrar a saída:  a falta de desejo sexual.

Aos 34 anos simplesmente parei de menstruar, assim do nada. Depois que tive meu segundo filho, com 31 anos, comecei a sentir os sintomas da pré menopausa. Mas nem imaginei o tamanho do problema e nem sequer cogitei a possibilidade de menopausa precoce e da impossibilidade de futuramente ter outro filho (um terceiro) ou uma filha como sempre desejamos. Mas não deu mesmo. Em maio de 1999 foi embora para nunca mais voltar. Exames solicitados constataram útero e ovários envelhecidos e atrofiados. Paciência!  Paciência? De quem? O que mais faltou foi paciência. Imagine uma mulher nova, com um marido também jovem e que só tem vontade de dormir, não se encanta mais com a sedução, nem se preocupa mais com os desejos do outro e nem com seu próprio desejo, pois ele desapareceu como fumaça.
Achei essa explicação bem plausível: "há, na nossa cultura, uma supervalorização da maternidade; imperceptivelmente a mulher se considera valorizada por ser - ou por poder ser - mãe; na menopausa, esta possibilidade desaparece, e a associação que fazemos entre sexualidade e reprodução se esfacela. É quase como se disséssemos: "se não vou gerar filhos, o que justifica o ato sexual?" Fonte: http://www.brevesdesaude.com.br/ed08/desejo.htm

Hoje lembrando disso tudo e contando parece que nem foi tão difícil. Talvez eu jamais consiga expressar em palavras o que foi vivido por mim e por ele. A dificuldade de falar sobre isso com os médicos, os médicos que minimizavam o problema, os remédios que não ajudavam e os que, quando ajudavam traziam outros tantos efeitos colaterais. Foi um sufoco! Olhando pra trás, as vezes me pergunto como não perdi meu companheiro. Como ele suportou tudo aquilo? Será que apenas o amor bastou? Disseram-me tantas vezes que para o homem o amor não é o bastante.

Precisei buscar a saída. Encontrar a luz no final do túnel porque não escolhi viver sozinha. Precisei recuperar a auto estima, reconsiderar tantas coisas, buscar o desejo esquecido em algum lugar pelos hormônios perdidos. Aprendi a redesenhar-me, voltei a ser inteira.


Eu quero passar todos os dias na tua vida
Na hora da chegada e na breve hora da partida
Ouvir tua voz em tantos sons e melodias
Lembrar de ti por tua paz, por teu amor e alegria.

E na alegria eu vou passar todos os dias do teu lado
No aconchego do teu corpo delicado
Dar-te meus braços em abraços bem selados
Trocar contigo mil beijos e afagos

E nesses tantos beijos e afagos tão bem dados
Faremos juntos um caminho de carinho escancarado
Cumprindo bem nosso destino lado a lado.

Nosso destino de sermos dois e, assim, de sermos sempre:
Dois amantes, dois amados, dois corações apaixonados...
Eternamente, entre nós, enamorados!

Adriano Hungaro


Nunca senti tanta dificuldade em falar sobre um sentimento. Fiquei muito preocupada em me expor, mas também aliviada por poder partilhar isso. Espero que, considerando a dificuldade, o texto tenha ficado claro e coerente.
 
Aos queridos e queridas que passam por aqui deixo o meu abraço carinhoso.

28 comentários:

Tati Pastorello disse...

Giovana, a admiração que tenho por você, só cresce! É muita coragem, muita força. Imagino o difícil que seja falar sobre isso. Falar sobre nossas conquistas, nossas vitórias é sempre mais tranquilo do que sobre nossas sombras, nossas dúvidas. A gente só consegue expressa-las, ainda mais quando sabemos que podem vir questionamentos e críticas, quando já bem resolvidas dentro de nós.
Que este amor se renove a cada dia, a cada nova temporada. Se recrie, se reinvente, mas nunca perca a essência. Que vocês nunca se percam nos olhares!
Beijos.

Socorro Melo disse...

Oi, Giovana!

Uma abordagem perfeita. Admiro-lhe a coragem, pois, é difícil mesmo falarmos de assuntos da nossa intimidade. Todos temos desejos, e como você bem disse, às vezes, a falta de desejos também. Sua experiência serve como preciosa lição de vida a tantas pessoas que talvez neste momento vivam situação semelhante.
Eu creio que o amor vence tudo, e você vem reforçar isso.
Desejo-lhe dias lindos e felizes ao lado do seu amado.

Beijos
Socorro Melo

Lúcia Soares disse...

Giovanna, um post pra refletir. Quantas e quantas jovens mulheres passam por isso e não procuram ajuda? Perdem não só a libido, mas os companheiros. Não porque não eram amadas, mas porque os homens (a grande maioria) interpreta como frigidez e acabam abandonando a mulher.
Bem fêz você de ir à luta e conseguir uma solução. Ainda mais sendo novinha, com filhos pra criar. Pensou em você, pensou no marido.
Desejo que sua vida seja plena de desejos, carnais, espirituais, reais, possíveis.
Beijos!

Manuela Freitas disse...

OLá querida Giovana,
Foi uma confissão corajosa, por vir do mais íntimo de ti e imagino todo o sofrimento que devias ter passado tentando reconstruir-te e reconstruir a tua vida.
Admiro a pessoa que és e teres conseguido, apesar de tudo solidificar a tua relação.
Muitos beijinhos e bom fim-de-semana,
Manú

Chica disse...

Que lindo desabafo e que bom que o reencontraste,não? Linda tua participação!beijos,chica

Astrid Annabelle disse...

O desejo do desabafo cumpriu sua missão. Agora acho que se livrou do peso de carregar sozinha esta história, não é Giovanna?
Você foi corajosa.
Parabéns. Belíssima participação.
Um beijo grande
Astrid Ananbelle

Glorinha L de Lion disse...

Giovanna minha querida! Já te disse várias vezes que vc é uma guerreira não é? Corajosa, lutadora desde pequena, nunca desistiu.
Mais uma vez demonstrou coragem ao se despir diante de todos nós ao falar de um assunto tão íntimo e delicado.
Te admiro demais minha amiga!
Desejo que seja feliz! Bjs.

Misturação - Ana Karla disse...

Gi parabéns pela coragem!
Muitas pessoas não acreditam que essas coisas não acontecem, mas somente na própria pele para saber, não é?
Bom final de semana.

Xeros

Lianara **Lia** disse...

Parabéns, Gi!

Belo e corajoso relato!

Desejo que todos os teus sonhos se realizem!!

Beijos

Lia

Blog Reticências...

Isadora disse...

Oi Gi imagino (apenas imagino) o quanto não deve ter sido para vocês passarem por isso. Algo inesperado e completamente fora de época se podemos assim dizer. E se deparar tão cedo com tantas impossibilidades e faltas, mas vocês dois juntos superaram e essa é a lição que você nos deixa hoje.
Um beijo e meu carinho

Marliborges disse...

Querida Gi,
Você não está sozinha nesse problema. Minha mãe também ao 38 anos entrou direto na menopausa. (Sei dessas coisas pq sou 15 anos mais jovem que ela, somos quase irmãs). Ela sofreu bastante. A libido lá embaixo. Ainda não existiam os hormônios, foi uma barra. Porque a menopausa não vem sozinha, tem outros sintomas, igualmente complicados. Tempos depois, com a chegada dos hormônios ela entrou nos eixos novamente.(Mas penso que a libido está, antes, na nossa cabeça. Alguém já disse isso, mas não lembro quem). Contei isso a você para testemunhar que os problemas aí estão, pra gente vencê-los!!! Bjsss. Ótimo post.

Cantinho She - Sheila Mendonça disse...

Gi você é uma mulher e tanto, te admiro muito por vários motivos, mas principalmente pela força interior que vc tem. Parabéns pelo post, pela participação, obrigada por dividir com a gente e parabéns pelo homem que vc tem ao seu lado.

Beijo, beijo! ;)

Camille disse...

Nossa, muito bacana demais o que voce escreveu. Corajosa menina! Mulher de verdade! Dificil as pessoas se abrirem assim. Mas se nao se abrirem , os blogs ficam num nivel de superficialidade que ninguem consegue aproveitar nada. Parabens!! Nem posso imaginar como deve ter sido dificil para voce.
Ano passado tive que tirar meu utero.Lotado de miomas, que nao escolhem idade nem pessoa para aparecerem. Ate agora nao senti nenhuma diferença( so para melhor) por que nao tirei os ovarios e tal. Mas passei longos anos nessa duvida-tiro ou nao tiro, por que achava que ia ser uma mulher amputada, uma meia mulher caso tirasse. E para minha grata surpresa continuo sendo uma mulher inteirinha, inteiraça. Por que ser mulher, nao esta numa bolsa ( teve um dia que sonhei: a bolsa ou a vida? Estava ficando dramtico ter que fazer a tal escolha), num orgao. E sim na cabeça, no sentir e no ser como um todo, um ser humano inteiro, como voce.
Beijos querida e muito obrigada pela sua sinceridade e sua coragem de abrir a sua historia,
Cam

sonia notaro disse...

Oi Giovana, cheguei aque através do blog misturação, se me aceitar fico grata.Vc com certeza é uma muher valiosa , sua coragem de expor algo que causa desconforto te leva a se libertar, te faz bem, relaxa, vc é uma mulher se refazendo por inteira, se expondo com muita dignidade,com certeza tem uma personalidade marcante, porém sensível e de grande coração.
Que o seu desejo, que o querer te faça feliz!
Tenha um bjf com muitos desejos maravilhosos e iluminados.
Bjs meus, Sonia Notaro.

Deia disse...

Giovana, vim conhecê-la através da blogagem coletiva, e fiquei honrada por poder compartir um pedacinho de sua história. É impossível colocar-se no seu lugar, mas necessário é frisar que o amor foi peça indispensável para que você superasse a menopausa precoce e todos os seus efeitos colaterais. Um abraço com muito respeito, Deia.

Ozenilda Amorim disse...

Oi,
Eu não li o seu post, só vim retribuir a visita e dizer que não pretendo mais sumir, é que as vezes o desejo some de tudo na vida, não é mesmo.
Parabéns pra você também viu, menina, afinal 42, 46 anos, somos meninas ainda. O meu aniversário foi no dia 07 de julho, mas só tô contando agora.
Beijos e bom fim de semana.
Ozenilda.

Macá disse...

Giovanna
Eu cheguei no seu blog há um tempo atrás, numa época que você não estava muito bem, mas mesmo assim escrevia com uma fluência, e eu fui vindo, fui gostando, respeitando e hoje mais do que nunca, te admirando.
Agradecendo também a sua coragem e determinação em mostrar e dividir isso com a gente.
Que bom que essas coisas acontecem, senão tudo fica uma superficialidade só.
E estou feliz também por saber que o Amor venceu mais uma.
Um beijo grande

Camille disse...

Ola,
Ja estou a quilomestros de distancia de onde escrevi o comentario, mas tem sempre um computador aberto por ai nao é? Vi seu comentario e vim te dizer que, o seus texto nao expoe nem a sua famlia e nem a voce. Mas mostra como um casal soube crescer junto, com companheirosmo e maturidade. Desejo de tantas e tantas pesoas que nao conseguem esse feito. ou seja, o seu post pode causar ate inveja, jamais constrangimento a quem quer que seja.
Um beijo e continue lutando pela sua felicidade que voce é uma guerreira vitoriosa.
Cam

Lu Souza Brito disse...

OI Giovanna, tudo bem?

Foi como disse a Tati: falar das nossas vitorias e conquistas é sempre mais fácil, agora a batalha pra que enfrentamos para chegar lá nem sempre...
O texto ficou muito coerente e esclarecedor e acho que abre as portas para que outras pessoas dividam seus problemas. Não acho que seja exposição, e sim um compartilhamento que com certeza fará a diferença na vida de alguém.

Um beijo doce pra vc!

armalu disse...

Parabéns pela pessoa que é pela força demostrada, pela coragem, e que Deus a ajude e acompanhe. bj bom final de semana com muito amor e luz no coração.

Lulú disse...

Que bom, Geovana, que você nos mostrou a importancia da amizade, do carinho e do amor em seu cazamento, caso contrário, vocês, um casal ainda jovem, não teriam superado tão bem o acontecido.
Que Deus te ajude e te ilumine nessa tua luta.
Beijos.
Maria Luiza.

orvalho do ceu disse...

Olá,
Vc fez muito bem em partilhar o desejo do seu coração, menina. Falar cura... traz novas perspectivas... é como se encontrássemos dentro de nós mesmos a nova possibilidade de concretização do desejo reprimido.
Bjs e serenidade pra vc.

Beth/Lilás disse...

Oi Giovanna!
Demorei porque estive sem conexão, mas foi um prazer ler um post tão sensível e sincero.
O que senti ao final da leitura é que a força do amor de vocês, venceu.
Parabéns pela superação dos problemas ao casal!
beijinhos cariocas

Nilce disse...

Parabéns, Giovanna

Pela coragem de tentar novamente e pelo texto maravilhoso.
Ninguém pode mensurar a dor do outro e então não posso te dizer que sei ou que imagino o que vc passou. Mas, se me colocar no seu lugar, não sei se suportaria.
Você foi à luta e ganhou!
Num desejo de ser e de fazer feliz vc se encontrou.
Quanto ao desabafo, faz muito bem ao coração.
Desejo a vc, ao seu marido e filhos toda a felicidade do mundo.

Bjs no coração!

Nilce

Amica Philosophiae disse...

Penso que seu testemunho mostra, contra a maré, que o amor e o casamento, não pode e não deve estar seguro somente no amor carnal, mas em algo que é muito mais do que só o desejo pelo corpo do outro.
Obrigado pelo belo exemplo!
Um abraço

Gina disse...

É a segunda vez que leio um texto seu tão íntimo e tratado de modo tão bacana.
Pela forma como superaram esse problema, tenho certeza que o outro também será superado, já que o amor venceu essa batalha.
Muita coragem, parabéns!
Bjs.

Elem Rodrigues disse...

Querida,
parabéns pelo blog, lindo, sua cara!
sua história é mesmo de muita luta hein amiga! Parabéns pela garra, e pela coragem de publicá-la, compartilhando assim e mostrando sua superação.
Abração, agora te seguirei sempre por aqui. beijos

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


TE SIGO TU BLOG




CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...


AFECTUOSAMENTE
BORDADOS E RETALHOS

ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE CACHORRO, FANTASMA DE LA OPERA, BLADE RUUNER Y CHOCOLATE.

José
Ramón...