quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Ser honesto é mérito ou obrigação?

Todos os dias tomo o café da manhã  no meu  trabalho e por esse motivo passo na padaria aqui perto e compro o meu pãozinho francês (somente o pão da tarde é fornecido pela empresa - justamente o que eu abro mão). Frequento essa padaria há  muito tempo. Lembro que quando meu filho Vinícius, que hoje tem 20 anos,  estava na creche, todos os dias entrávamos nessa padaria para comprar um iogurte ou outra guloseima pra ele, que estava, na época, com apenas dois anos.  A dona da padaria hoje tem mais de 80 anos e para fugir de uma depressão após a morte de um de seus filhos ainda trabalha lá. Um pouco lenta, demora no troco, mas está sempre alegre, trata com carinho todos os fregueses. O marido fica no balcão, o filho na gerência e  são ajudados por padeiros e outros profissionais que preparam lanches e atendem a clientela também.

Outro dia passei lá e vi umas caixinhas de queijo que iriam para o lixo. Com o meu lado artesã em alta, pedi a caixa pra fazer decoupage e ela me deu.  Isso foi na quinta feira  e como não  tive tempo de mexer com elas,  ficaram num canto lá em casa até  meu filho perguntar pra que serviam e encontrar um bolo de dinheiro dentro de uma delas. Estavam lá amrradinhos, mais de R$ 300,00 ( não sei o valor certinho, pois não abri o pacote e não contei o dinheiro).

Imagem daqui

Fiquei nervosa e preocpada, pois sei que o filho dela acha que a mãe deveria deixar esse trabalho, pois  está idosa, desatenta e também porque é muito boa, atende os pobres que vão lá com fome,  sem dinheiro para um pãozinho.  Mas na segunda feira, mesmo sendo um dia que não precisava vir ao centro de Vitória, vim até aqui entregar o dinheiro. A mulher me agradeceu tanto, ficou até emocionada e eu sem entender o porque dos olhos marejados. Ele me explicou: primeiro porque eu não falei nada com o filho dela que se souber briga feio. Segundo porque ela  nunca esperava que alguém devolvesse o dinheiro, que tinha dado como perdido. Perguntou ainda o que ela poderia fazer para me recompensar. Respondi: minha senhora porque recompensar  uma atitude que tem que ser regra. O dinheiro não era meu e pronto, nem cogitei a hipótese de não devolver.

Imagem daqui

Aí então fiquei pensando que a nossa sociedade concede prêmios a pessoas que fazem o que é certo, o que não é nada mais que sua obrigação. Ser recompensado por ser honesto?  Isso deveria ser regra e não exceção. Mas em um mundo como o nosso, os valores se invertem muitas vezes.

17 comentários:

Cantinho She disse...

Queridonaaaaa passando para te deixar beijo, beijo, ando em falta, mas vou ajeitar isso, ontem lembrei de vc qdo vi nos jornais sobre o niver de sua cidade...beijo, beijoooo! ;)
She

Meru Sâmi disse...

Oi, amiga!

Você tem razão, é estranho que as pessoas à nossa volta se admirem ante um gesto de honestidade e/ou caráter.
Outro dia eu estava discutindo com algumas alunas exatamente isso.
Quando elas afirmaram que certas atitudes de hoje é "normal".
Tive que interromper a aula de dança para fazê-las entender que, embora muita coisa estranha hoje seja comum, isso não quer dizer que se tornaram normais. Que há uma diferença entre ser comum e ser normal. Comum é prática habitual, enquanto que normal é o correto de cada coisa e/ou situação. E, nem sempre as duas definições aparecem juntas, como é o caso dos costumes atuais.

Há uma séria distorção sobre o que é e o que não é. Está complicado o tema educação com valores!

Postagem ótima para reflexão.

Beijos.

Macá disse...

Giovanna
Muito bonito o seu gesto e natural também. Pelo menos pra nós que pensamos assim não é?
Você vê, hoje em dia a coisa anda tão ruim, que as pessoas estranham quando se age com naturalidade num caso desses.
Um beijo

Nika disse...

Por que será que acham que ser honesto é um mérito? Concordo com vc que os valores d nossa sociedade tem se invertido..a honestidade é obrigação de cada um.Não devemos fazer aos outros o que não gostariamos que nos fizessem.
Graças a Deus minha mãe me ensinou sobre essa obrigação e estou repassando a para meu filhote.
Precisamos de mais pessoas que não apenas pensem como vc querida mas que tbm ajam assim, principalmente no governo do nosso país..
bjinhos

Cris França disse...

A palavra para isso é iniquidade
a gente está tão acostumada com ela, que acha certo o que está errado, e errado o que está certo.
concordo com vc, so quero nessa vida o que for me dado ou for meu por direito, em demérito do outro n tem valor. bjs querida

Cris França disse...

A palavra para isso é iniquidade
a gente está tão acostumada com ela, que acha certo o que está errado, e errado o que está certo.
concordo com vc, so quero nessa vida o que for me dado ou for meu por direito, em demérito do outro n tem valor. bjs querida

Nilce disse...

É verdade, Giovanna.

O povo brasileiro se acostumou tanto com a desonestidade que quer pagar quando somos honestos.
E sabe o que é pior?
A sociedade cobrando esse pagamento. Vemos muito disso na TV, quando as pessoas fazem o que vc fez, o povo dizendo: "mas, ele deveria ter recompensado, afinal de contas, achado não é roubado".
Ridículo, né?

Bjs no coração!

Nilce

PS: Que felicidade vc vai me dar com seu presente. Já estou tão feliz com todo esse carinho. Eu estou "me achando", agora. rsrs

Isadora disse...

Gi, minha amiga, ser honesto é uma obrigação. O dinheiro não era seu e você sabia a quem pertencia, nada mais correto do que devolvê-lo.
A certeza de ter feito o que era correto, já é o grande prêmio, pois você deitará no seu travesseiro com a consciência tranquila.
A honestidade é dos itens que compõem nosso caráter.
Não adianta alardear honestidade e não sê-lo. Não adianta alardear retidão sem tê-la.
Um beijo

Lúcia Soares disse...

Giovanna, seu gesto é que deveria ser comum, natural a todos.
Nenhum valor pode ser exceção, tem que ser o natural de cada ser.
Você é uma pessoa de bem, "normal", como todos deveríamos ser.
Beijo!

Maria Célia- Cissa disse...

Boa noite, Giovana
Bonito texto e atitude mais bonita ainda, que serve de exemplo aos desonestos de plantão, oportunistas que querem levar vantagem em tudo.
Como você disse a honestidade deveria ser regra e não exceção.
Beijos!

orvalho do ceu disse...

Oi, querida
O bem não é mais valorizado pela sociedade mas quem tem consicência reta é muito mais feliz...
Vc dever estar dormindo tranquilamente após esse gesto, não é mesmo?
Bjm

Chica disse...

É uma pena que o bom esteja xsendo fora da normalidade,não é? Que bom que ela ficou tão feliz e agradecida.Isso te fez bem,não?um beijo,tudo de bom,chica

Misturação - Ana Karla disse...

Gi você disse tudo: uma regra.
É assim que deveria ser.
Parabéns por dividir.

Obrigada por sempre lembrar de mim.

Xerosss

Paula Betzold disse...

Oi Gi! perdao pelo sumiço... andei mega enrolada
Adorei teu post. é uma gde verdade tudo o q disse. Sabe qud somos crianças e tiramos nota alta e queremos um premio e ouvimos "nao fez mais que sua obrigaçao"? é mais ou menos por ai... beijos

Luma Rosa disse...

Ser honesto é igual a ter caráter, parabéns! Bons tempos eram aqueles que ser honesto era regra! O que falta aos desonestos também é a consciência do outro - de que não sendo honesto prejudica o outro. Beijus,

Lidia Ferreira disse...

Se todas nossas crianças fossem educada assim , e se nas escolas ensinassem mais sobre o que e ser patriota acredito que hje teríamos políticos melhores
bjs

Dora Regina disse...

Amiga, primeiramente vou responder a pergunta do título.
Ser honesto é obrigação, não temos o direito de ficar com o que não nos pertence.
Parabéns pela sua honestidade, ato louvável, se todos agissem dessa forma, o mundo seria bem melhor.
Um grande abraço!