domingo, 9 de maio de 2010

Somente Hoje no Dia das Mães

Não suportarei hoje, assim como em todos os dias do meu viver o seu olhar indiferente. Mas hoje, mais que qualquer outro dia, é penoso não ouvi-lo chamar-me de mãe. Hoje não, por favor, hoje não, não quero lembrar que ele está ali pertinho, no quarto ao lado silencioso. Hoje não quero me culpar por nada  e nem quero procurar explicações para o inexplicável. Então hoje, permita-me Deus esquecer, o coração partido,  a metade de mãe que me tornei e assim sobreviver às homenagens que inventaram para louvar a maternidade.

Hoje, para não chorar a ausência dele, vou lembrar-me do olhar desesperado das mães que visitam os filhos nas prisões. Daquelas que esqueceram qualquer presente porque choram os filhos doentes nos corredores dos hospitais. Preciso hoje  buscar fundo na memória, o olhar da mãe que perdeu para sempre o filho amado. Na lembrança do sofrimento de tantas dessas mulheres, quero perceber que sou feliz, apesar de tudo.

Hoje, somente hoje quero que o dia passe correndo, atropelando tantos sentimentos, ignorando todas as mágoas e todas as lágrimas. Quero hoje, pelo menos hoje,  rir um riso despretensioso e sincero e ser apenas a mãe que posso ser. E no final deste dia, quando reconhecer que não posso ignorar o filho que amamentei , a despeito de qualquer sofrimento, quero pedir a Deus que multiplique em mim, a capacidade de amar incondicionalmente e abençoar mesmo no silêncio.

Comentários: Coloco aqui pois tive que apagar o post anterior que não permitiu colocar fotos.

Oi Giovanna!
Não sei nem o que dizer diante deste relato tão emocionado e tão bonito.
Espero do fundo do coração que todo este sofrimento, hoje pelo menos, seja ouvido. Apesar de todo sentimento de dor que vc está carregando,talvez por indiferença de um filho...vc tenha um dia das mães maravilhoso.
Um bj enorme e que tudo fique bem.
Rozani

Giovanna
E Mãe, tem essa capacidade: a capacidade de Amar incondicionalmente. E mais que isso, aceitar que se é a Mãe que se pode ser é, também, aceitar-se. Assim, fica um pouquinho menos difícil conviver com esse silêncio. Daqui, fico torcendo para que chegue logo a hora em que esse silêncio se abra ao diálogo... ao abraço.
Bjs e parabéns pelo dia
Jacinta  

Tenho outro filho e não  posso ignorar isso. Não posso desistir, por ele,  que precisa tanto de mim 


Já com o presente que ganhei ontem a noite

Gostaria tanto de deixar uma mensagem linda, trazer notícias boas, mas ainda não é possível. Vitor me traz esperança e me diz como seu olhar carinhoso que não posso perder a fé. 

Quero deixar registrado aqui o meu abraço a outras mulheres, que ao longo da minha vida, em vários momentos me acalentaram e acolheream. Deixo meu abraço à dona Maria (mãe da Jacinta do Florescer), à minha tia Luzia, à minha tia Alice, à Carlita Cozendey e à minha avó Eulália. 

Às amigas blogueiras, mães dedicadas, guerreiras e lindas, desejo um dia das Mães abençoado de feliz.

18 comentários:

Tati Pastorello disse...

GI, o sorriso do Vitor é lindo! Iluminado! Feliz!! Saiba, por ele, que você é uma ótima mãe. Seu outro filho ainda terá a oportunidade de reparar isso. Espero que hoje você consiga passar um dia feliz ao seu lado.
Estou daqui, torcendo também por esta reconciliação.
Fique com Deus,
Tati.

Elaine Barnes disse...

Puxa vida, lembrei daquele ditado" Ser mãe é padecer no paraíso!" Amiga,fiquei triste em saber que seu coração está partido e que não pode ser a mãe que gostaria de ser.Os filhos não vem com "cd" e são uma surpresa no decorrer da vida. Amá-los,alimentá-los,cuidá-los com amor e dedicação deveria ter um resultado de carinho,afeto mútuo...Creio que deu o seu melhor e terá forças para reverter qualquer problemas. Não desista dele nem de você.Se Deus te abençoou com mãe,tenha certeza que ele escolheu ser teu filho e sentirá essa benção também. Desejo do fundo do coração que abra um sorriso hoje e abra os braços mais uma vez,que as bençãos de Deus te aompanhem. Montão de bjs e abraços

Eliane disse...

Gi hoje quando acordei , pensei em minha mãe dormindo no quarto ao lado, feliz com todos filhos embaixo das asas. Não rezei por ela rezei por ti, pois estava desconfiada de sua tristesa. Menina um dia seu filho vai acordar, enguanto isso va dividindo seu amor com os que te amão de qualquer jeito. Um dia ele volta amiga. Muitos beijos no teu coração.

Taty disse...

Amiga, mais uma vez não sei o que dizer a vc... vou pedir a Deus que conforte o teu coração e que tudo passe logo, pois disso eu tenho certeza, é uma fase amiga, e vai passar.
O seu outro filho merece toda a sua felicidade neste dia de hoje.
Um beijo!!!

Manuela Freitas disse...

Amiga fiquei muito emocionada com o seu sofrimento, como mãe compreendo bem a tristeza que sente, de qualquer forma tem consigo um filho lindo, com uma expressão orgulhosa da mãe que tem. Tem que dar um tempo, o tempo se encarrega de lhe dar aquilo que merece.
Beijinhos
Manú

Glorinha L de Lion disse...

Amiga, se alguém merece ser chamada de Mãe Verdadeira, como escrevi lá no meu post, uma delas, com certeza é vc...a mãe que ama "apesar de" ....não se culpe, vc é mãe que ama apesar de tudo, apesar da indiferença, apesar da insensibilidade, apesar da falta de carinho...e. por outro lado, tem esse outro filho que te ama e te faz ver que não falhou como mãe...pelo contrário, vc é a mãe que tantos que não a tem, ou nunca tiveram ou já a perderam, sonham em ter...Giovanna, se ame , se valorize, como pessoa maravilhosa que é, como mãe extremosa, cuidadosa...um dia isso tudo há de se reverter...enquanto isso, se permita amar um à distância e ao outro, de pertinho...Seja feliz amiga, é o que te desejo, hoje e todos os dias da tua vida!
Grande, enorme beijo de uma mãe para outra.

Nanda Nascimento disse...

Ei Gi,

Lendo seu post lembrei-me da minha adolescência, que eu fiquei umas semanas sem falar com minha mãe, não tenho idéia de como tive essa capacidade, e só a maturidade me fez acordar pra vida.
Espero sinceramente que essa aflição não dure muito, e que vocês possam usufruir desse relacionamento mais lindo que existe entre dois seres humano que é o de mãe e filho.

Beijos e uma braçada de flores pra você!

Yoyo Pizy disse...

Querida amiga,
Como você mesma disse não perca a fé. Não desista de ser feliz pois voc~e tem outro filho que a valoriza e que a ama
Um grande beijo

Beth/Lilás disse...

Querida Giovanna!
Por esta razão não gosto dessas datas marcadas, dessas datas que fazem muitas pessoas chorarem e sofrerem tanto.
Mas, saiba que suas amigas aqui e que te apoiam a veem como uma linda mãe e este seu filho, Vitor, também, portanto não sofra, não se subestime, tenha força e fé.
Aguarde.
beijos cariocas

Jacinta Dantas disse...

Legal a reedição que você faz. E viver é isso, né? Que bom!

E falando em reedição, dei uma nova versão para um velho texto e estou dedicando a você.

Abração

Lucas Bernardo disse...

Acabei de conhecer seu blog, indicado por uma amiga. E gostaria de saber o motivo pelo qual você e seu filho não se falam e há quanto tempo vocês não se falam. Por favor, deixe um comentário no meu blog me respondendo quando você puder. Muito obrigado. E torço pela reconciliação de vocês.

Açuti disse...

Oiii Gi,

emocionante o que escreveu...sabe que sempre está nas minhas orações!!!
Desejo que tenha passado um dia das mães consolador no Senhor!!

bjkssss

Eliane disse...

Gi, to aqui de novo, menina sabe o pc aqui em casa é uma meleca de tão rui a tela. Ontem fui na casa do meu marido e aproveite pra passear nos blogs e ver minhas amigas numa tela melhor. Seu Vitor é muito parecido com vc. Parabens pela obra prima. Um beijão e bom dia.

cantinho she disse...

Queridaaaaaa receba o meu carinho pelo dia de hoje, beijooooo!

pensandoemfamilia disse...

Olá
O título do seu blog me motivou a conhecê-lo.
Não pude deixar de observar seu sofrimento e sentimento de culpa por algo que fez seu filho se distanciar.
Não se culpe,nada do que acontece nos contextos tem um único responsável. Todos interagimos e temos uma parcela de responsabilidade pelos acontecimentos.
Aguarde e não se culpe. O silêncio também é uma forma de counicação.
Abços.
Se desejar conhecer meu espaço, escrevo também sobre interações familiares.
http://pensandoemfamilia.com.br/blog
Norma

Gina disse...

Giovanna,
Lamento que esse dia não foi como gostaria. Relações familiares são difíceis, em determinados momentos, mas a família é o grande laboratório da vida. Alguém precisa dar o primeiro passo...
Torço por você!

Fátima disse...

Olá Giovanna, estou solidária a você nesse momento de tristeza, mas penso que em breve as coisas estarão melhores e sua relação com seu filho aos poucos se estreitará.
Não perca a fé em Deus nunca, pois ele não nos desampara.

Fique em paz.
Beijo com carinho.

Fátima disse...

Olá Giovanna, estou solidária a você nesse momento de tristeza, mas penso que em breve as coisas estarão melhores e sua relação com seu filho aos poucos se estreitará.
Não perca a fé em Deus nunca, pois ele não nos desampara.

Fique em paz.
Beijo com carinho.