terça-feira, 18 de maio de 2010

História de Uma Mulher Corajosa

Ontem terminei a leitura de, A Virgem na Jaula - Um Apelo à Razão de Ayaan Hirsi Ali.

Da mesma autora  também li recentemente, Infiel. uma autobiografia em que  narra sua trajetória sofrida, triste mas ao mesmo tempo sua capacidade de sobrevivência, sua força e sua coragem.


Histórias de mulheres fortes, comprometidas com causas nobres chamam minha atenção. Alem dissso tenho curiosidade quanto ao modo de vida de outras culturas. Mas Hirsi Ali, que nasceu na Somália, fala de  uma questão muito séria que é o fato do Ocidente achar que é culturalmente aceitável a violência que o Islã submente as suas mulheres. Assuntos como mutilação sexual (prática desumana), casamentos arranjados e o papel inferior das mulheres nas sociedades mulçumanas, entre outros,  são abordados pela autora que não aponta somente os problemas mas apresenta soluções de forma lúcida e coerente. São leituras que valem a pena.  A vida de milhares de mulheres são histórias contadas em preto e branco e nós que colorimos a nossa vida, numa blogagem coletiva MARAVILHOSA, sabemos muito bem o que signifca isso.

Aproveito para mosttar o selinho que ganhei do Fernando do Blog  Ao Final do Inverno que me pede para responder, entre outras regrinhas, o que é mágico pra mim.



Fernando, entre outras tantas coisas, mágico pra mim é receber flores, lindas como essas do selinho, assim sem motivo nenhum, apenas porque alguém me ama muito e pensou em mim. Ah! Isso é mágico. Agradeço demais seu carinho e vou colocar o mimo na minha galeria.

Aos queridos e queridas que passam por aqui deixo o meu abraço carinhoso.

10 comentários:

Fátima disse...

Bom dia Giovana,
também li "Infiel", e confesso que me surpreendi com algumas passagens ali colocadas.
Quando nos deparamos com tantas crueldades existentes em algumas culturas como as que você citou, pensamos que temos muito a agradecer visto que vivemos no paraíso.
O paraíso da liberdade!

Tenha um lindo dia.
Beijinho.

Tati Pastorello disse...

Gi, bom dia. Não conhecia a autora, vou incluí-la na minha lista de livros que pretendo adquirir/ ler. Vim te sugerir um, caso não conheça, que se chama Sobrevivi para contar. Escrito por uma sobrevivente do massacre de Ruanda. É lindo, e apesar de forte, tem uma lição de fé maravilhosa. Val à pena. A autora é Imaculé Ilibagiza (não sei se escreve assim, tava com preguiça de procurar no google).
Beijos.

Misturação - Ana Karla disse...

Bom dia Gio!
Excelente dica. Assim que puder lerei, pois é o tipo de leitura que gosto, sem falar que no ano passado fiz um trabalho em cima da mutilação sexual. Realmente é uma prática desumana.
Somos felizes com a nossa cultura brasileira.
xeros!

Priscila Rodrigues Bittencourt disse...

Menina..
deve ser bem interessante mesmo estes livros. Vou ver se compro aqui pra, antes de dormir, ir lendo um pouquinho!!!
Muito obrigada pela dica!
ótimo dia!

Lia Noronha disse...

Td lindo demais por aqui...vou adicionar no meu cantinho.
Abraços carinhosos pra ti.

pensandoemfamilia disse...

Bom dia
Esta temática nos mostra o quanto ainda existe de absurdo em nossa planeta. Também fiquei horrizada quando li sobre as mutilações que as mulheres sofrem. Gostei da dica do livro.
bjs

Vivi disse...

Realmente... ainda existem atrocidades incompreensíveis neste nosso planeta...
Li seu recadinho no meu blog e vc perguntou qual o pano q usei para as roupinhas... usei soft viu!!! é quentinho e muito macio!!!rsrs
bjs

Wlady disse...

Oi Gi! tudo bem com vc?
É muito triste a situação em que muitas mulheres vivem, o difícil é que em muitas das situações, como a violência e o tráfico independem de costumes/crenças, são praticadas por crueldade.
grande bjk

Glorinha L de Lion disse...

Ainda não li, mas agora com sua dica, vou ler...é um verdadeiro horror essas mutilaçoes a sangue frio nas meninas, isso deveria ser considerado pela ONU, crime contra a Humanidade...acho a Onu muito omissa quando se trata de "cultura" dos povos...pra mim cultura é uma coisa, barbarismo é outra...mas isso dá muito pano pra manga, né amiga?
Olha quero te agradecer as palvras tão carinhosas...tive que rir com vc falando da "minha princesa"...é a própria!
Beijinhos.

cantinho she disse...

Oi Gi, que interessante, eu tb adoro conhecer as outras culturas... parece ser mesmo bem interessante essa leitura! Bjo, bjo! ;)