terça-feira, 27 de julho de 2010

O Anjinho Leitor

Sentada na mesa escrevia um bilhete ao seu pai para lembrá-lo de alguma tarefa ou algo para resolver em casa. Como saio mais cedo que ele recorro sempre aos bilhetinhos carinhosos e as mensagens que amenizam a dureza do dia-a-dia. Enquanto me empenho no recado você passa pra lá e pra cá. Sua presença nunca me é indiferente. As vezes não parece mas observo todos os seus passos. Sei se está se alimentando, se pegou a maçã para o lanche, se está muito cansado, se está triste. Quando canta fico mais feliz pois sei que está bem. Como não fala comigo sei que não está bem por outras pessoas ou  pelo seu semblante carregado e aí sofro junto. Nesse dia em que eu observava tudo ao mesmo tempo em que escrevia o bilhete você chegou perto de mim e me entregou uma caixinha embrulhada para presente. Levei um susto, mas peguei e agradeci. Você foi embora para o trabalho tão depressa, antes que eu pedisse o abraço que na minha carência de mãe  achava que deveria ser entregue junto com o pacote. Abri, era um anjinho. Um anjinho leitor - com um livro nas mãos. Fiquei feliz e emocionada com o presente tão simples mas tão significativo que você me trouxe de sua viagem à São Paulo.
Essa imagem peguei na net, não é a imagem do anjinho que recebi de presente

Lembrei daquele dia em que todas as suas mágoas afloraram e você gritou que sou uma péssima mãe, pois só sei ler e bordar. Quando senti o peso das palavras injustas e da sua raiva apertando meu coração. Mas nesse dia em que você me entregou o anjinho leitor eu entendi  um pedido de desculpas.Não quero ficar me iludindo filho, mas percebi  que ainda há esperança, que mesmo não sendo a mãe que você sonhou,  posso ser simplesmente a sua mãe. Não precisa se desculpar de nada filho, pois a única coisa que você me deve é um abraço apertado e demorado que eu ainda estou esperando receber.

Meu filho, o de casaco claro e barba, no curso de Comunicação em SP
Imagem daqui

13 comentários:

Tati Pastorello disse...

Gi, que coisa boa que li aqui! Na verdade cheguei para dizer que papo para um dia todo me animou toda, e já estava marcando vôo para o Espirito Santo quando li este seu texto. Que lindo! Que significativo! As coisas vão melhorar, amiga. A tristeza ficará no passado!!
Estarei daqui, em forte pensamento positivo para que esta fase de tristezas se encerre, e aquele abraço ansiado chegue logo!!!
Beijos.

cantinho she disse...

Minha Querida como já te acompanho há algum tempinho quero te dizer que fiquei muito feliz com esse seu post, Lindona foi um grande passo dado esse, fique tranquilinha que as coisas irão melhorar mais ainda, só que no tempo certo... beijo, beijo!

Dora Regina disse...

Ser mãe é ser paciente...
O anjinho é lindo, creio que ele representa você que gosta de ler ...
Só desejo tudo de bom a esta família.
Um grande abraço!

Glorinha L de Lion disse...

Fiquei tão emocionada ao ler esse post minha querida amiga Giovanna!
Ando tão abilolada, ansiosa com meu livro que tenho sido relapsa com minhas amigas e te peço perdão por isso. Mas ao vir aqui hj e ler isso, me fez ficar tão feliz por vc, que nem imagina! Acho que, como te disse um dia, isso vai ter fim, esse sofrimento vai acabar e esse passo na tua direção, pode parecer pequeno pra vc, mas me parece enorme, pelo esforço e pelo reconhecimento do teu amor pelo teu filho tão amado. Sei, tenho certeza que um dia, em breve, esse abraço virá. Beijos querida.

Macá disse...

Giovanna
Quando conheci seu blog tomei conhecimento que estava havendo um problema entre seu filho e você, mas não sabia o que era, e também nem tinha porque saber.
Mas como eu também tenho 2 filhos, + ou - da mesma idade, toda vez que eu vinha aqui, me lembrava disso e imaginava o que você deveria estar sofrendo. Nossa, como faz falta um abraço.
Fiquei feliz hoje. Foi um passo, e tenho certeza que logo virão outros e vocês poderão se abraçar fortemente.
Você vai ficar feliz duplamente: por você mesma e por ele.
Afinal com mãe é tudo sempre em dobro não é?
Beijo carinhoso

Isadora disse...

Minha amiga acabei de ler o seu post com os olhos marejados. Já tinha entendido que algo acontecia entre vocês mas não sei bem ao certo o que foi, mas hoje, depois de ler me deu um alento pensar que talvez o seu grande sofrimento esteja próximo do fim. Eu espero muito que sim. Talvez tenha sido a maneira que ele encontrou de levantar uma bandeira branca.
Minha amiga que você seja inundada de boas energias!
Um beijo

Silvana - Interior Adentro disse...

Oi Gi...

Nem tenho palavras para confortar esse coração de mãe, minha querida...

Só espero que um dia esse moço acorde de tudo isso e perceba o que está perdendo da vida, de ter uma mãe maravilhosa como vc, que o ama de verdade.

Talvez esse momento esteja muito perto, Gi...

Estou torcendo para que ele lhe dê esse abraço tão esperado e vocês possam desfrutar de toda alegria na família.

Receba meu grande carinho.

Beijooo

Eliane disse...

Gi!!!!!!!! Fiquei feliz agora eu disse pra vc que com o tempo isso melhorava. Logo logo vais ter teu reloginho de volta. Teu filho é um homem forte e esta voltando ao poucos pro teu coração, quando vc menos esperar o abraço vai chegar, não tenha pressa. Muitos beijos de felicidades nesse seu coração de Mãe.

JOANA CAMPOS disse...

Ai ai ai Kd esse menino? xeu ir lá trocar uns dedo de prosa com ele, que ele vai entender umas coisinhas que ainda não chegaram nos eixos dentro da cabecinha dele!
Mas geeeeeeeeeente! ki coisa!
Amiga, num sei direito o que rola....mas tenha fé! creia! Deus é Maior!

Beijos
Força!

Joana Campos

Silvana - Interior Adentro disse...

Gi

Então a Natércia anda mesmo aprontando?

Olha, tenho duas sugestões muito boas.

Mas antes digo que isso ocorreu comigo aqui em casa por um bom período. Eles iam no nosso corredor e faziam xixi, até marcou o piso de taco de tanto que faziam e eu limpava. Meu pai na época era vivo e tb ficava uma fera.

Mas aí consegui tirar isso deles, porém um ano depois disso tudo descobrimos que ali onde eles faziam xixi tinha uma infiltração proveniente do banheiro (esgoto) que deveria exalar um cheiro imperceptível para nós humanos. E era BEM ALI naquele lugar, acredita?

Eu consegui tirar isso deles com dois métodos: passar vinagre no local várias vezes ao dia (eles odeiam vinagre...hahaha) e migrar a caixinha de areia pra lá.

Bem onde ela faz vc passa vinagre antes e coloca a caixinha de areia em cima (ou mais uma caixinha de areia, que pode ser de papelão forrada com bastante jornal e areia em cima).

Isso irá confundi-la e vagarosamente vc vai trazendo a caixinha para o lugar certo, sem deixar de passar o vinagre puro no local de batismo.

Lembre-se de passar o vinagre tb nas redondezas, cadeiras, sofá, cortina... não pode deixar nenhum cheirinho de xixi...

O motivo dessa mudança de hábito dela tb pode estar relacionado ao ambiente, se vc mudou algum móvel de lugar e ela se sente insegura ou se alguém gritou com ela, pois são muito sensíveis e marcar com cheiro é um modo de achar que se defendem. Tente falar sempre baixinho com ela, não altere o tom de voz que tudo voltará ao normal.

Depois me conte se deu certo tá?

Qto a esse produto "pode não pode" funciona melhor para cães uma vez ao dia. Para gatos vc terá de passar com a mesma frequencia que vinagre, varias vezes ao dia.

Beijoooo

Sahari aroma & arte disse...

Gi, obrigada pelas dicas...
Grande beijo,
Lu...

Luma Rosa disse...

A carga de compreensão sempre cai nas costas das mães e à todos em volta temos que estender as mãos. Se expomos o nosso ponto de vista, somos egoístas e a compreensão pelo que pleiteamos sempre passa longe daquilo que queremos, que é simplesmente proteger, diminuir as dores, tornar o mundo melhor para eles e um futuro seguro. Talvez a crítica ao dizer que você só sabe ler e bordar, seja uma resposta a uma crítica que você fez de alguma escolha dele - estou chutando porque não sei qual o motivo da divergência que tiveram. Aqui não é diferente, Giovanna!! Eles fazem e depois voltam com sorrisos como se nada tivesse acontecido. Só não pode acumular mágoa, heim? Espero que esse abraço venha logo!! Beijus,

orvalho do ceu disse...

Ei, querida
Ser mãe é padecer no Paraíso...
Nem somos sempre o que eles querem... eles tamém não são sempre o que almejaríamos... é a vida!
Ser mãe é um Dom lindo e Deus completa a obra inacabada... não é mesmo?
Seja feliz! Bjm