quinta-feira, 17 de junho de 2010

Tolerância Zero

Gente, ando pilhada. Sei que a gíria nem combina comigo, mas é assim que me sinto, acelerada, a 100 km por hora, atropelando tudo. Domingo fui fazer a acolhida na abertura da Missa e esqueci de chamar uma pessoa que representava uma das equipes de serviço da comunidade. Quando me dei conta caí em prantos. Melhorei depois que fui consolada pelo marido, pelo Vitor, por amigos próximos e pela própria pessoa que eu esqueci, minha querida Patrícia, cantora da Igreja e coordenadora do grupo de catequistas. Depois discuti com uma pessoa durante os festejos. Em outro momento tenho certeza ouviria calada a reclamação dela. Marido foi me contar que não pagou o plano de saúde pois não havia chegado o boleto e eu antes que ele terminasse a história, gritei um monte de impropérios e desaforos pra ele. Depois que eu me acalmei ele me explicou que o boleto não chegou porque ele havia esquecido que pagou antecipado. Morri de vergonha.


Fiquei pensando nesses rompantes que tem me acometido nesses dias e acho que isso não é normal. Será que estou com o hormônio da tireoide descompensado (tenho hipotireoidismo e faço tratamento há anos)? Será que é só cansaço? Será que esse negócio de fazer dieta tá mexendo muito com a minha cabeça? Ai droga porque não me permito ser gordinha e feliz? Bom, mas isso é para outro post. Quem tem problemas com a balança sabe da necessidade e vontade de emagrecer e da dificuldade de resistir as guloseimas.
Mas estando eu nesse período  de tolerância zero, quando nem sequer posso culpar a TPM como expliquei nesse post, entra uma pessoa aqui hoje no meu trabalho, interrompe meu raciocínio para perguntar se eu tenho um livro com as histórias ou biografias de todos os Papas. Procura  especificamente um Papa que viveu nos anos 200 D.C. Respondi que não e aí a casa caiu.Gente, o homem ficou possesso, esbravejou dizendo que isso era um absurdo. Onde já se viu uma biblioteca da Arquidiocese não ter um livro desses, que ele iria reclamar com o bispo, com o cardeal. Como pode, continuou o indivíduo, uma Arquidiocese formar padres sem ter o tal livro...e mais bla, blá, blá.
                                              

Caramba, foi me dando um nervoso, fui ficando vermelha. Respirei fundo  e falei que o nosso acervo é adquirido de acordo com a política da instituição e que nossoobjetivo maior são documentos históricos do Espírito Santo. Aí ferrou pois o cara não entendeu o que eu quis dizer e falou que a Igreja fica se preocupando com o social e não se preocupa em comprar o que interessa (pode?). Nesse momento eu levantei e quando já ia despejar todo o  meu nervosismo em cima dele, respirei fundo e fiquei olhando pra cara dele, bem séria, ele foi abaixando o tom de voz. Quando calou a boca perguntei:  posso falar? Ele respondeu, sim, pode. Entreguei para ele o endereço da Biblioteca da nossa faculdade de Filosofia e Teologia para ele procurar pelo livro por lá.
     

Hoje foi por pouco que nã destratei um usuário aqui do Centro de Documentação. Graças a Deus me contive pois é uma característica minha tratar bem todos que chegam aqui e tentar ajudá-los de alguma forma. Esse é o diferencial no meu trabalho. Que Deus me ajude a continuar assim e conseguir no dia-a-dia a ser mais tolerante e mais calma. Agora vou ler os blogues de vocês para me acalmar.

Aos queridos queridas que passam por aqui deixo o meu abraço carinhoso
                                                      

16 comentários:

Luciana Casado disse...

Oi Gi! Nossa menina, tu tá pilhada mesmo!
Mas tem fases que ficamos assim, eu não sei você, mas eu já passei por fases de querer brigar com o mundo e segundos depois chorar como se o mesmo mundo não me aceitasse. Mas assim amiga, vai passar! Fique calma, tente ficar... converse mais com as pessoas ao teu redor e se dê ao luxo de comer algumas besteirinhas, mesmo na dieta, se não tu vai enlouquecer...
Bjus, Lu

Yoyo Pizy disse...

Gi querida,
Nesse último ando meio assim, com a tolerância no limite.
Espero que melhore logo
Bjos

Eliane disse...

Gatinha vc tá uma monstrinha hihihi va dar uma olhadinha na sua tireoide, ela poder estar fora de orbita. Mas não fique culpando a coitadinha pois esse povo não tem muita noção e as vezes sai do trilho tambem ai junta tudo e endoida . muitos beijos e boa tarde pra vc.

STILO BASICO disse...

rsss... calma , calma tô chegando na boa , amiga , amiga...rss Giovanna , acho que tem tempo que a gente fica assim mesmo , meio fora da casinha , que tal um chocolatinho ? engorda? um pedacinho só , acalma ... rss

bj e bom dia

Isadora disse...

Oi Gi por mais calma que uma pessoa seja (o que não é o meu caso), esse corre-corre todo pelo qual você passou e mais os problemas dodia-a-dia, ifelizmente, nos deixam assim.
Nessas horas e fazer como você fez respirar fundo pra não destratar ninguém. Ainda que alguns mereçam uma bela espinafração - rs.
Um beijinho

Françoise disse...

Oi Giovanna,
Você é normal e não tem leite nas veias, tem sangue e muito sangue mulher...por isso entenda que vc é normal e que deve ser só um periodo que passa rapidinho!
O descanso de vez em quando ajuda, cuide-se e fique bem!

Beijos

cantinho she disse...

Queridaaaaaaa acontece... mas relaxe porque não faz nada bem pra gente isso, né? Mas pode mesmo ser a tireóide, eu tb tenho hipotiroidismo e isso às vezes acontece, é preciso controle, mas passa... ;)
Beijocas e mais beijocas!
She

Lu Souza Brito disse...

Ai Gi, se permita explodir de vez em quando. Só nao pode se tornar um estado permanente, porque faz mal aos outros e principalmente a você.
Já que falou da dieta, pode ser isso também. Eu fico extremamente mal humorada, irritada, impaciente e todos os sinonimos quando faço regime.
Beijos e tudo de bom!

Tati Pastorello disse...

Gi, muitas vezes o fato de sempre ponderar e nunca explodir faz com que, em algum momento, não se aguente a pressão. Se até a panela de pressão precisa de válvula de escape para não explodir...
A gente precisa disso na nossa vida: Lazer, afago, ou fazer o que a Beth lilás sugeriu outro dia (ou foi hoje?): parar tudo e olhar pela janela, ouvir nossa respiração, tentar NÃO ouvir pensamentos por um tempo (o que eu acho o mais difícil de tudo!) e relaxar de verdade... Isso faz tanta falta na vida da gente, é o que nos deixa intolerantes. Que bom que conseguiu se controlar com o sem noção, mas de vez em quando faça alongamento emocional(é assim que eu chamo estes momentos de descanso da mente!).
Beijos.

Açuti disse...

Oiii Gi,

puxa amiga, realmente vc passa uma calma imensa!!! Mas todas temos nossos dias, né!!!
Pode bem ser sim a tireóide...ou talvez cansaço, ou o stress diário...mas uma coisa sei bem!!! Dieta mexe com a cabeça e o ânimo de qualquer ser humano...sei disso pois passo a vida a brigar com a balança, mas agora é mais sério pois tenho que perder muitos quilos (40kg é o ideal) e, olha, lutar com o que gosta é muitooo dificil...e dá um nervoso!!!
Mas passa!!!
bjksssss

Paula Betzold disse...

Oi Gi, a dieta faz sim isso com a gente, mas tente se acalmar... uma vez, eu tava assim, ai minha vó me ligou e falei como eu estava, ela me disse se eu tinha coragem de ser assim, com tanto amor que eu recebo... fiquei sem graça.
Fui pro meu quarto, fechei a porta, pedi A Deus que me ajudasse a encontrar a minha serenidade, tomei um banho... e melhorei... pelo menos me controlei!
beijos

Beth/Lilás disse...

Oi, Giovana,
Menina, isso é stress sabia!
Eu acho que vc deveria aproveitar este final de semana e dar um passeio num lugar onde pudesse relaxar de verdade, no campo, por exemplo, já que é mais calmo. Subir num lugar alto e olhar de cima, bem à distância. Dizem que é excelente a gente olhar uma paisagem com o horizonte bem longe.
Na verdade, todos nós, hoje em dia, estamos sujeitos a estes rompantes, pois a vida nos meios urbanos, o contato e convívio com muita gente pode causar isso.
Take it easy!
beijos cariocas

Mara D'Almeida disse...

Ei amiga! Calminha aí, se não vou ficar com medo de me aproximar!rs
É só pedir a Deus muita tranquilidade para lidar com tudo e com todos, que as coisas irão se acalmar.
PS: Obrigadinha pelo livro, já comecei a ler ontem a noite mesmo.
Abraços fraternos!

Lidia Ferreira disse...

rsrs Pois e amiga , eu não consigo imaginar vc assim rsrs acho que vc tem que realmente ver ´pode ser os hormônios , ou a tiróide ,
Bjs

Glorinha L de Lion disse...

Gente, pelamordoscéus! O que é que tem de vez em quando botar a boca no trombone, soltar a franga, espernear, falar desaforos?
Eu ein! todo mundo PODE fazer isso de vez em quando, principalmente se tem razão pra fazer isso...se aceite do jeito que é, todo mundo pode ter seu dia de gritar, de falar desaforo sim: somos feitos pra ter amor, mas tb raiva, pra ser pacientes, mas tb impacientes...qual o problema de um dia ficar assim? Não aguento essas coisas...meu marido que é espírita tb vem com essas estórias de que não devemos ter raiva... Como assim, cara pálida? Raiva faz parte do ser humano...do SER enfim! Solta sua franga de vez em quando sim amiga...vc tb pode! beijos.

Silvana - Interior Adentro disse...

Oi Giii!

Olha, é dificil mesmo a gnete se segurar de vbez em qdo né?

Nesses dias aconteceu comigo, mas me segurei e dei o troco depois na freguesa....hahaha. Sou vingativa, não brigue comigo....hahaha

Mas olha, acho que é mesmo o stress. O acumulo de coisas pr fazer, a casa pra administrar, o marido, os filhos, o blog, o gatinho, seus atesanatos, compras no mercado, limpeza, manicure, cabelo, pele...

Se a gente soma tudo, vê quetem atributos demais e que, felizes mesmo, eram nossas mães...hehee. Só cuidavam dos filhos, do marido e do lar.

Esse feminismo tornou-nos stressadas, é preço que estmos pagando!

****

Mudando de assunto, hj estou um caco de tanto chorar pela morte de Saramago. Adorava o velhinho, li quase todo os livros dele!!

Nesse mundo dominado por especuladores da vida humana e direcionado pelo "pensamento" dos publicitários, perder Saramago é ainda pior pela certeza de que não haverá reposição, jamais!

A nossa carência sobre pensadores de vanguarda, inquietos e questionadores sobre o rumo da raça humana se formaliza na morte do Saramago.

Acabou, cabe-nos imortaliza-lo junto aos jovens, fazendo nossa parte nesse mundo no qual a velocidade e o brilho são mais importantes do que o conteúdo e a solidariedade.

Afff,como estou triste, amiga...

Beijoooo