terça-feira, 6 de abril de 2010

Saudades da minha mãe

Hoje me bateu uma saudade imensa da minha mãe. Não sei o motivo, sei que é apenas saudade. Saudade da sua voz, do seu cheiro, do seu carinho. Já escrevi sobre essa saudade nesse post aqui . Sinto muita falta do seu sorriso e da sua palavra que consolava e acalmava. Até mesmo das brigas e enfrentamentos tenho saudades. Pois isso tudo me fez crescer e amadurecer. Que mulher corajosa era aquela que enfrentou tempestades e terremotos para me criar.  Que tinha medo de quase nada (pelo menos era o que eu achava) e que enfrentava as  adversidades da vida sempre com muito bom humor. Hoje tenho lembranças boas, outras nem tanto,  histórias bonitas e engraçadas dela para contar aos filhos e algumas fotografias.  O mais importante que guardo aqui no fundo do peito, como herança valiosa deixada por ela, é a sua coragem. É como se todos os dias ela me dissesse: - Filha, coragem vai dar tudo certo!

A de lenço na cabeça era a minha mãe na minha festa de aniversário de 4 anos. O calendário na parede marca o ano de 1968. Seu nome era Iracir e ela faleceu no início da primavera de 1987.


Essa fotografia (quando eu tinha 9 meses) me lembra a luta e as dificuldades que enfrentava. Sempre que eu reclamava da falta de fotos minhas quando pequena ela me dizia que essa única foi paga em várias prestações. As fotografias na época em que nasci eram artigos de luxo.

Aos queridos e queridas que passam por aqui deixo o meu abraço carinhoso.

22 comentários:

Glorinha L de Lion disse...

Ah amiga, como entendo essa sua saudade! Tb tenho dias assim...mas as lembranças que ficaram, essas, ninguém tira de nós.
Grande abraço de mãe em vc!

cantinho she disse...

Oi querida, nossa que post lindo e emocionante, me deu até vontade de chorar, pois ainda tenho os meus pais e sei que não serão pra sempre, muito triste... mas ao mesmo tempo muito linda a forma que vc abordou.
Beijinhos, minha Linda, e fique bem!

Misturação - Ana Karla Tenório disse...

Ô Giovanna, que pena que no momento não tens mais tua mãe, mas a tua saudade é tão bonita. Tão bela a forma como te referes a ela.

Triste, são as pessoas que tem uma mãe e não sabem dar o devido valor, ou ainda aquelas que são mães e não fazem por onde, um dia, deixar seus filhos saudosos.

Você pequenininha era muito fôfa!
E a foto da família é sempre um show, né?
Coincidência ou não, sua foto do perfil também está de lenço na cabeça.

Um xero grande pra você e um abraço apertado.

Taty disse...

Ai amiga, deve ser difícil mesmo... nem tento imaginar, porque não consigo. mas que bom que vc tem lembranças boas dela, e boas histórias para contar!!! Vc se parece com ela...
Beijos pra vc querida!!!

Beth/Lilás disse...

Oi, Giovanna!
Nossa, que saudade doída, também a sinto mesmo tendo minha mãe ainda viva, mas mora longe tadinha!
E você, que bebê mais bonitinha!

Amiga, obrigada pelas palavras de preocupação lá no meu blog. Estamos mesmo sob uma calamidade pública e da natureza. Não tenho nem vontade de blogar hoje, tal meu desânimo, mas tinha que vir agradecer sua preocupação por nós cariocas tão sofridos. Valeu!
bjs cariocas

Lidia Ferreira disse...

Nossa minha nem me fale em saudades da mãe rsrs ainda me doi a saudades da minha que me deixou a pouco tempo

Quanto a reportagem do Santos , foi neste sabado,a gazeta que mais falou estão tentando abafar
Ontem no programa do Jo eles falaram um pouco , depois te mando os Links
bjs

Elaine Barnes disse...

Coisa boa essa saudades né!? Ter um bom motivo pra sentí-la. Boas lembranças. Entendo o que sente,um dia escrevi sobre a minha também.Tenha certeza que ela sempre vem te abraçar. Bela homenagem. Parabéns. O negócio é falar,expressar,assim ameniza um pouco enquanto partilhamos com os amigos. Montão de bjs e abraços

Gina disse...

É isso mesmo, as lembranças é que valem com tudo de bom que ela deixou no seu coração.
Adoro fotos antigas!
As dificuldades ajudam a valorizar as conquistas.
Bjs.

Maria Lúcia - Asas da Imaginação disse...

Oi Giovanna!
Lí o seu post hoje mais cedo e me emocionei; linda homenagem!
Que Deus, Aquele a quem vc invoca o Nome, console o seu coração e o faça transbordar de alegria por ter tido o privilégio de fazer uma homenagem tão maravilhosa para ela!
Sobre a sua foto de infância, que fofura; já se via em seu olhar uma menininha decidida, corajosa, segura de si!
Beijos, querida, e, mais uma vez parabéns pela atitude!

Maylane Caetano disse...

Oie... Nossa bacana seu post.
logo quando começei a ler me lembrei da minha vó que saudades ela me faz, nen gosto de comentar pq asaudade e tão forte que começo a chorar.
linda a fotinha do seu niver,adorOo niver pq reuni a familia e é sempre muito bom.

Abraços

Everson Russo disse...

Entendo bem essa sua saudade, tenho muitas da minha tambem,,como me faz falta seus carinhos.....um beijo de otimo dia pra ti.

Vivi disse...

Oi Giovanna
Vi seu blog no blog da Açuti e tb de Glorinha e em muitos outros...aí pensei: vou no blog dela conhecer essa mocinha !!!
qdo chego aqui leio uma postagem tão meiga...tão doce... fiquei emocionada!!! e como disse a Ana Karla.. eu tb reparei olenço em suas cabeças!!! coincidência??!! eu diria: conexão!!!
Vc a tem de uma maneira muito especial e com certeza ela está sempre contigo tb!!!!
Ameiiii as fotos antigas!!!! e como somos felizes hj em dia com a facilidade de fotografias hein!!!!
Minha querida, seu blog é muito especial viu!!!!
Gostei demais!!!
Sinta-se abraçadinha por mim num abraço de mãe !!!
com carinho
bjs

Manuela Freitas disse...

Querida Gi,
Bonito o que escreveste sobre a tua mãe. No meio de coisas boas e más, ela passou-te algo muito importante, a CORAGEM!...
Eu também sou muitas vezes invadida pelas recordações, o que eram os outros tempos, as dificuldades e as lutas. De vez enquanto escrevo sobre isso. As pessoas queridas permanecem em nós e cada vez as compreendemos melhor e as amamos mais, porque fomos compreendendo melhor tudo. Hoje lamento os beijos e abraços que não dei aos meus pais, por muitos que tivesse dado!...
Beijinhos minha querida,
Manú

Lúcia Soares disse...

Oi, Giovanna. Vim ao blog através da blogagem coletiva da Glorinha.
Ontem também escrevi sobre saudade, mas do meu pai.
Essa saudade das pessoas a quem amamos e que já não estão conosco é doída demais.
Sei bem que dor é a sua.
Bj

Lu Souza disse...

Oi Gi,

Sinto saudades também da minha mãe, mas graças a Deus ela está vivinha da silva. Não tao bem de saúde, mas viva.
Obrigada pela dica dos templates, eu dei uma olhada. Já escolhi um, agora estou aguardando um amigo que vai "colocar " pra mim, pq sou uma negação pra isso.

Beijoooooos

Andrea Galvez disse...

Giovanna querida

Sinta-seabraçada por mim nesta saudade, sei como isso, embora tenha minha mãe, perdi a 4 anos um querido irmão, e a saudade quando vem é dificil controlar...Mas pode ter certeza que ela te abraça todos dias.A lembrança mais forte dela neste dia do post prova o quanto ela está presente contigo.

Bjo querida!

Obrigada sempre por tuas palavras carinhosas lá no blog...sempre bom ler vc.

Nanda Nascimento disse...

Nada como recordar...vivenciar em nossas mentes, momentos únicos que fizeram de nós, o que somos hoje!

Uma linda noite pra você!

Beijos e flores!

Taty disse...

vc com saudade do tempo que passava ferias em casa e eu louca pra viajar...kkk amo ficar em casa, e preciso disso pra me equilibrar psicologicamente, mas uma viagenzinha não faz mal a ninguem né? o mal é que marido nunca tem ferias, e a gente nunca tem grana... aí ja viu né?
Beijoo florzita!!

Açuti disse...

Oiiii Gi,

deixo meu abraço maternal e grande beijo!!!

Coragem e força é o que devemos ter todos os dias né!!!

Everson Russo disse...

Beijo carinhoso de amizade pra te desjear um belo dia.

Por toda minha Vida disse...

Bom dia.

Adorei seu blog por tudo que li e vi, acredito que o que nos orgulha também nos fortalece e faz com que sejamos seres humanos melhores.

Meu nome é Renata tenho dois blogs e vc esta convidada a visitar. Começo hj a te seguir.
http://renatagomesdefarias.blogspot.com/

Tati Pastorello disse...

Giovanna, estou chorando... Minha mãe é viva e nos encontramos com frequência. Duas de minhas tias já morreram e vejo a dor de meus primos. Quando tento projetar o sentimento imagino que uma parte de nós morre com nossas mães, mais do que com nossos pais (por melhores que eles sejam), mas uma grande parte de nossas mães vive em nós, e isso é o que pode confortar.
Sinta seu beijo e também o meu beijo.
Carinho,
Tati.