sexta-feira, 12 de março de 2010

12 de Março: Dia do Profissional Bibliotecário (a)

Dia 12 de Março, comemoramos o dia do bibliotecário (a) e o nascimento de Manuel Bastos Tigre, bibliotecário que se projetou pelas suas ações em favor da profissão e dos profissionais sendo o primeiro bibliotecário concursado no Brasil em 1915, exercendo a profissão por 40 anos.


                            
Não me recordo, em toda a minha vida, ter ouvido uma criança declarar que gostaria de cursar Biblioteconomia. Quando criança, decidi ser médica ou professora e só a maturidade me ajudou a escolher com consciência, ser bibliotecária. Nem me lembro também quando exatamente deixei todas as dúvidas de lado e me apaixonei perdidamente pela Biblioteconomia. Qualquer pessoa que ama a leitura terá sempre muito respeito pela minha profissão. Mas muitas vezes me questionam se não é uma profissão um tanto limitada. Perguntam-me se bibliotecários cuidam apenas de livros e se são realmente necessários quatro anos e meio nos bancos da faculdade para aprender a colocar livros nas estantes. Acredito sinceramente que “limitada” é uma pessoa (muitas vezes estudada e graduada) que pensa dessa maneira, com total falta de conhecimento. Tradicionalmente a Biblioteconomia carrega uma atuação preferencial em bibliotecas, mas a sua transformação, ao longo dos séculos, como Ciência da Informação, a levou aos mais diversos campos de atuação. Nossa especialidade se faz presente, nas bibliotecas, cumprindo importante papel social; em empresas, indústrias e organizações gerenciando e organizando o capital-informação, nos ambientes educacionais exercendo a mediação pedagógica ou no campo da pesquisa, contribuindo para a construção do conhecimento científico. De qualquer forma, o que precisa ser lembrado é que atuamos, por competência e formação, gerenciando e organizando informação.


Hoje, quando comemoro, junto com milhares de colegas, o dia do bibliotecário e da bibliotecária posso dizer que sou enormemente feliz na profissão que abracei e sou alguém privilegiada, pois trabalho fazendo exatamente aquilo que escolhi fazer. O mais importante nesse dia 12 de março é unir forças com outros tantos profissionais para que o reconhecimento não seja privilegio de um ou outro. Unir forças para que a história de uma profissão tão antiga no mundo, regulamentada no Brasil em 1962, seja motivadora para a nossa luta pelo reconhecimento e visibilidade dos profissionais bibliotecários. Desejo no dia de hoje autoestima elevada e coragem para enfrentar tantos desafios.
                                                    
Faço questão de assinar esse post com o número do meu registro no Conselho Regional de Biblioteconomia do Espírito Santo.

Giovanna Valfré
Bibliotecária
CRB 12/557


Para não perder o costume e lembrando que essa semana comemoramos também o Dia Internacional da Mulher quero sugerir o livro, Inés da Minha Alma de autoria de Isabel Allende. Inés Suarez, personagem feminino, forte, denso, apaixonada e apaixonante criada por Allende que lança um outro olhar sobre a história oficial da conquista do Chile. Livro para as mulheres fortes e guerreiras. Vale a pena.

Aos queridos e queridas que passam por aqui deixo o meu abraço carinhoso.


11 comentários:

Glorinha L de Lion disse...

Parabéns pelo seu dia! Eita profissão importante e nem um pouco valorizada nesse país que incentiva o povo a ser ignorante pq assim pode ser presidente!
Hoje em dia ignorância dá ibope...infelizmente.
Beijos, minha querida...

Nanda Nascimento disse...

Belo post...realmente ele é muito especial, que você possa continuar colhendo muitos frutos da sua profissão, imagino o prazer que deve ser trabalhar neste universo tão maravilhoso!

Parabéns!

Silvana - Interior Adentro disse...

Oi Gi!!!

parabéns pelo seu dia! Só mesmo desavisados e ignóbeis para pensar que uma profissão com a tua é superficial.

Vcs resguardam nossa história, nosso tesouro, nossa vida e tudo de bom e de ruim que produzimos.

só posso mesmo é agradecer a todos vocês, profissionais dedicados da área, a grande serviço que nos presta.

Qto a Isabel Allenda, putz, sem comentários.... Como amo essa escritora!

O trabalho de Ines, de fundar escolas, igrejas e abrigos é apaixonante.

Considero o livro uma tentativa de desmistificar um pouco a carga machista chielan (que até os dias de hoje é indescritivelmente muito maior que a nossa).

Acho que Allende tgenta, em todos os seus livros, mostrar que as chilenas podem ter a força de mudar muita coisa. Em Eva Luna tb ela faz alo parecido, assim como em Casa dos Espíritos.

minha melhor amiga, chilena de nascimento e criada no Brasil, retornou ao Chile há 12 anos e até hoje comenta do machismo fustigante e acachapante desse país latino.

Porém, essa é uma carga latina forte, donde o Brasil se safou devido às dimensões geográficas gigantescas. Aqui o machismo não cola, não tem jeito. O cara pode até tentar, mas não dura muito.

No Chile é tão diferente.... fui pra lá e me surpreendi...

Na Argentina, uruguais e outros é a mesma coisa.

Bom, pra variar divaguei novamente....hehehe

parabéns pelo seu dia! :O)

Beijoooo

Patch e Bordados by Sandra. disse...

Giovanna,
Parabéns pelo seu dia! Que vc possa crescer muito e ser cada vez um referencial para outros profissionais.
Belo post! Beijos, Sandra.

Lin Sousa disse...

olá, vim retribuir suas visitas e te dar os parabéns , meio atrasado , é verdade ,mas lembrei de vc.. acho fascinante esssa profissaõ ... e hj penso que poderia ter sido uma profissional nesse ramo pelo meu temperamento e gosto pela leitura ..tb adoro ler e um dos meus preferidos é Cem anos de solidão.. uma obra prima !! bjs e ótima semana e que vc passe à frente o gosto pela leitura que anda fora de moda .. (será?) os livros estão caros mas os sebos estão aí .. pelo menos aqui no centro do Rio tem bastante .. LIN

Maria Lúcia disse...

Oi Giovanna! Obrigada pelo carinho em sua visita ao meu blog, na véspera do meu aniversário!
Achei lindo o que vc disse sobre o dia do aniversário: O dia em que Deus anuncia ao mundo o quanto nos ama! Estou aqui escrevendo emocionada, com lágrimas nos olhos, pois é muito profundo!
Obrigada amiga, por me ensinar uma verdade tão linda!

Querida, parabéns pelo seu dia profissional! Que Deus continue te abençoando, para ser um instrumento d'Ele onde estiver, tá?
Beijos!

Jacinta Dantas disse...

Um pouquinho atrasada, aqui estou eu. Parabéns menina! na maturidade, com equilíbrio entre sonho e realidade, se constrói caminhos. E você faz o seu caminho com maestria. Que bom!
E como diz Rubem Alves: Esquisito o que vou dizer: a alma é uma biblioteca. Nela se encontram as estórias que amamos. Romeu e Julieta, Abelardo e Heloísa, O paciente inglês, As pontes de Madison, Amor nos tempos do cólera, A menina e o pássaro encantado. As estórias que amamos revelam a forma do nosso desejo.
Beijos

Silvana - Interior Adentro disse...

Oi Giiii!

eu ainda não li o livro A soma dos meus dias, mas fica valendo a dica. Vou pesquisar sobre ele e tentar comprar no submarino.

Atualmente estou lendo o livro da escritora e teatróloga americana Lilian Hellman, chamado Uma mulher Inacabada.

É um tipo de autobiografia da mulher sulista que foi viver em NY. Mas não apenas isso, é a riqueza de detalhes numa época transformadora do mundo. Sem contar que a fofa conviveu com Ernest hemingway e Arthur Miller e dá detalhes de tudo!(ai, morro de inveja....hahaha)

É meio cansativo, mas interessante.

Também estou lendo dois "lixinhos", sabe...hehehe. Sabe, sempre leio tb livros pop, assim desanuvio um pouco.

Acabei de ler Melancia, sobre uma mulher abandonada pelo marido com filha recem-nascida. É bagaceira, linguagem sujinha, mas divertido. Um tipo menos refinado de Diario de Brigit jones.

ganhei dois livros de aniversário, mas sao do Sidney Sheldon. Então terei de encontrar uma aniversariante que aprecie para despachá-los. Putz, não dá pra eler esse cara, não entendo como ele vende!!

As pessoas me dão muitos livrosde presente pois sabem que eu gosto. Mas não entendo... me dar livro desse cara. A pessoa deve me odiar né?...kkkk

Na minha cabeceira tem um do Jorge Luiz Broges em que ele descreve, com detalhes, seus entendimentos sobre a Divina Comédia (nossa, muito dificil esse livro, suei sangue pra tentar entender na fakul...)

Acho que a maturidade está me dando paciência pra tentar entender melhor Dante. E Borges me ajuda, afinal ele era expert nesse escritor.

Tb tá lá na cabeceira as Aventuras de Pickwick, de Charles Dickens, mas é uma edição mega antiga, capa dura e doureada, de letras minusculas... estou sofrendo e adiando o término...

Acho que não conseguiria viver sem ler livros. Meu irmão que mora comigo não lê nem bula de remédio e me pergundo porque ele é assim. Aliás, me pergundo como pode ser assim!!! Não dá!!!

Putz, falo demais né?...rs

Beijoooooo

Adriana Coelho disse...

Oieee!!!
Muito Obrigada pela visitinha!!!
Que vc tenha um dia maravilhoso!!!

=D

Beijoos

STILO BASICO disse...

oi Giovanna , cheguei atrasada mas trouxe meu forte abraço de STILO BASICO , pelo seu dia ... parabéns e muito sucesso em sua profissão .

Misturação - Ana Karla Tenório disse...

Nossa Giovanna vou deixando também o meus parabéns pelo seu dia, viu?!!!

Olha só, o Soneto da Fidelidade, são raríssimas as pessoas que não conhecem. Que bom que é o nosso preferido.
Adorei postar igual a você.rs

xerosssss