segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Chico Mendes: crime e castigo


Acabei de ler o livro do Zuenir Ventura, Chico Mendes: crime e castigo, e fiquei com aquele gostinho de quero mais ou com aquela sensação de que a história não acabou. Acredito literalmente que a história não tenha acabado mesmo. Afirmo isso sem nenhum discurso panfletário, mas considerando que a luta de Chico Mendes, e consequentemente sua morte,  trouxe ao mundo um novo olhar sobre os povos da floresta.

Imagem: ebah.com.br

A querida Beth, do Mãe Gaia, sugeriu no post passado, que eu comentasse o livro do Zuenir  e então aqui estou.

A obra trata de reportagens do Zuenir feitas na ocasião do assassinato do Chico Mendes em 1988 e  na época do julgamento, dois anos depois. Em 2003, ao saber do interesse da Editora em publicar um livro com essas reportagens retornou ao Acre (Rio Branco e Xapuri) para  apurar e relata o que aconteceu com  os personagens envolvidos no episódio.


Adorei retomar toda a história de vida do ambientalista e mais ainda sua ideia de um novo olhar sobre a floresta. É perfeita a descrição de Zuenir a repeito do homem, grande líder que chamou, de forma inusitada e inteligente, a atenção do mundo para a causa dos seringueiros e dos defensores da Floresta Amazônica. 

Imagem: fmanha.com.br

Claro que Zuenir não é imparcial nas reportagens que fez. Mas quem o foi  ao tratar de assuntos como,  seringueiros, Floresta Amazônica, Ecologia, Chico Mendes? A impressão que temos é que só havia dois lados: o dos fazendeiros latifundários ou o dos ecologistas. Zuenir deixa claro que de que lado está, mas acima de tudo revela um Chico Mendes, inteligente, estrategista, pacifista, que mais que um pedaço de terra para os seringueiros defendeu uma Floresta preservada para todos.

"Só depois que ele morreu, aos 44 anos, é que o Brasil descobriu haver perdido o que custa tanto a produzir: um verdadeiro líder." Zuenir Ventura

17 comentários:

Chica disse...

Pena que precisou morrer tempo pra ser valorizado...

Um beijo,tudo de bom,chica

Heloísa disse...

Giovana,
Muito boa sua resenha. Desperta o gosto para a leitura.
Bjs.

Nilce disse...

Oi Gi

No Brasil mata-se quem quer melhorar as condições do Brasil e do brasileiro.
Preciso ler este livro.

Bjs no coração!

Nilce

Beth/Lilás disse...

Gi,
Este livro deve ser muito bom e resgata o nome importante de Chico Mendes. Não sabia que o Zuenir escrevia coisas assim, gostei!
bjs cariocas

Marli Borges disse...

Parabéns pela resenha, muito bem colocadas as palavras. Adorei.
Bjssssssss

Tati disse...

OI Gi, adorei a resenha. Fiquei curiosa sobre o livro. Assunto pelo qual deveríamos nos interessar mais, lutar mais.
Beijos.

Socorro Melo disse...

Oi, Giovanna!

O Chico Mendes é um exemplo,do que considero ser um herói.Não sei porque os heróis têm que morrer. Mas,fica a mensagem, a luta pela causa, a conscientização.
Adorei suas colocações. E fiquei interessada em ler o livro.

Grande abraço
Socorro Melo

Teresinha Ferreira disse...

Oi Gi,
Temos mesmo que ver a data do nosso próximo encontro. Obrigada pelo elogio da foto.rsrs...
A morte do Chico Mendes trouxe tristezas e alegrias para algumas resoluções. Pena, pois sempre tem que morrer alguém para que algumas atitudes sejam tomadas...
Fique bem
Bjs mil

Elaine Barnes disse...

Chico foi um exemplo de seriedade e trabalho para o povo e pelo povo de sua terra tão sofrida. Linda a explanação do livro. Enriquece a gente viu! Montão de bjs eabraços

Lata de Luxo disse...

Ola,querida Giovanna.
Vou procurar esse livro,parece ser muito interessante.Realmente a estoria do Chico Mendes pode ser contada de varios prismas,pois esse homem,lutador das causas dos povos da floresta,tinha muitas facetas.Sua morte deixou um gosto amargo na boca de quem busca justiça e igualdade.Gde beijo.zenaide storino.

Iram M. disse...

Falar em ler livro, me faz lembrar Gi.
Quando eu estiver em duvida qual livro comprar, já sei a quem consultar.

Gi, querida mt obrigada pelas palavras lindas lá no blog. Se continuar falando assim, vou levar a serio e vindo de vc, é pra levar a serio.

Beijo

pensandoemfamilia disse...

oi GI
hoje tambem fiz um post sobre o livro que ganhei no nosso encontro em Niterói.
É sempre bom fazermos estas trocas através do que lemos.
bjs

Meri Pellens disse...

Infelizmente muitas vezes ainda é assim, valoriza-se o líder/pintor/escritor/pessoa só depois que se vai.
Beijo na alma, Gi.

orvalho do ceu disse...

Olá, querida Gi
E será que essa história terá fim???
Os líderes são tomados pela violência... de alguma forma...
Tem um convite pra VC no meu post de hoje e gostaria muito de que entrasse na roda com a gente, tá???
Bjs de paz

Glorinha L de Lion disse...

Gi, esse livro deve ser bom hein?
E é bem como disse a Nilce, aqui no Brasil, se mata os bons, os que fazem algo pelo povo, como a irmã Dorothy, o Chico....os Fernandos Beira Mar continuam lá, de dentro de suas celas cheias de mordomias, mandando e desmandando no crime organizado...triste o nosso páis, viu? beijos,

Maria Lúcia - Asas da Imaginação disse...

Oi amiga! De fato Chico Mendes foi um homem admirável!
Querida, acabei de ler o seu depoimento sobre sua experiência com amamentação...pura poesia... fiquei emocionada e tenho certeza de que muitas mulheres ficarão. Obrigada por compartilhar conosco!
Beijos.

Sonia Barbosa Guzzi disse...

Chico Mendes e irmã Dorothy, duas almas eternas na Amazônia que chora a cobiça e sede de poder.
Vivi na Floresta Amazônica com meus filhos ainda bem pequenos e é sempre uma doce lembrança.

Gde abraço, em divina amizade.
Sonia Guzzi