sábado, 14 de abril de 2012

BC: UM DIA PARA GLORINHA LEÃO

Essa blogagem coletiva é uma proposta da Angela do Ora Pitangas


Perdi a graça com o Blog. Perdi a vontade de entrar, me comunicar e interagir por aqui. Mas hoje volto para homenagear minha querida amiga Glorinha. Nem sei o que dizer, que homenagem pode estar  a altura de pessoa tão especial. Quando em agosto o Bordados e Retalhos completou 2 anos pedi a ela um texto para publicar  aqui e olha a preciosidade que ela me enviou: 


 “Eu vi um menino correndo
eu vi o tempo brincando ao redor
do caminho daquele menino,
eu pus os meus pés no riacho.
E acho que nunca os tirei.
O sol ainda brilha na estrada que eu nunca passei.
Eu vi a mulher preparando outra pessoa
O tempo parou pra eu olhar para aquela barriga.
A vida é amiga da arte
É a parte que o sol me ensinou.
O sol que atravessa essa estrada que nunca passou.
Por isso uma força me leva a cantar,
por isso essa força estranha no ar.
Por isso é que eu canto, não posso parar.
Por isso essa voz tamanha.”

Trecho da música Força Estranha de Caetano Veloso.


Não sei porque me lembrei dessa música hoje quando a minha doce amiga Gi me pediu que escrevesse um texto para comemorar os dois anos de seu blog: o Bordados e Retalhos. Aliás, sei sim. Sei porque a Giovanna me lembra isso, essa força estranha que vem de algum lugar de dentro de nós e reverbera, inunda, preenche tudo com o seu amor.

É uma força comum a quase todas as mulheres. Uma força tirada da dor, do caminhar, do semear vidas. E o Caetano soube falar disso com maestria: dessa força que nos leva a cantar, a viver, a sonhar, a escrever, a crer que o amanhã será melhor, que a esperança sobrevive apesar de tudo.

Essa força estranha e imensa que nos faz capazes de um amor sem medidas por um filho. Ou capazes de não desistir do sonho de uma vida inteira.

A força geradora. A força motriz. A que corre atrás de qualquer coisa para um filho ser feliz, para deixar a mesa posta, a cama feita, a roupa cheirosa no armário. A que trabalha duro e ainda assim tem tempo para ouvir os desabafos de um amigo. A que tem tempo para abraçar, acarinhar e nem sempre ser acarinhada e engolir lágrimas infinitas à noite, encharcando os lençóis sem que ninguém note. E, que, ainda assim, no dia seguinte nos faz levantar, sorriso no rosto para fazer tudo novamente, mil vezes, milhões de vezes para o bem estar de quem vive à nossa volta. Mesmo inundada de tristeza nos olhos inchados que ninguém percebeu....

O tempo...ele é capaz de ensinar tantas coisas, nos faz nos acostumar até com a dor, com a tristeza e aprender a conviver com ela e a sobreviver, apesar dela. Mas, “a vida é amiga da arte” e a vida da maioria das mulheres que se doam é arte pura. Porque nascemos sabendo que o sol voltará amanhã. E, que ainda que não brilhe, ele está lá, atrás das nuvens, aguardando o momento de voltar a aquecer a Terra e iluminar os caminhos.

Ter a Gi como amiga, daquelas do coração, de alma, é um privilégio. Porque ela, embora não saiba, tem essa força estranha, tem essa voz tamanha. Tem o que chamei uma vez de altivez diante da vida, que só os fortes mantém.

Ela brilha porque é estrela, porque tem um sol catalizador no peito. E, porque é mulher e tem os pés no riacho, tem a sabedoria ancestral que todas nós carregamos conosco e, ainda que pense que não, seu amor ilumina até mesmo quem está longe dela.

Com todo o meu carinho e amizade,

Glória Leão


Glorinha estará sempre no meu coração. Quando ela ficou doente liguei para o celular dela, que estava internada, e a achei animada para enfrentar a doença. Pensei que era somente um período difícil e que ela iria tirar de letra a adversidade. Mas depois fui ficando muito preocupada pois já não respondia aos e-mails, mensagens e  cartões... Mas acho que essa amiga agregou, uniu, juntu, foi tão verdadeira e só posso dizer que ela correspondeu a tudo que sempre esperei dela. Quando nos encontramos no Rio de Janeiro em 2011 foi uma emoção muito forte e aquela alegria guardarei pra sempre. 


Foto de Glorinha no colo de sua irmã Regina. Enviou-me na ocasião em que publiquei a série Eu também já fui um bebê.  Para rever, clique aqui
Saudade, saudade e saudade é só o que tenho pra dizer e quem ficou e se encantou com ela sabe o que estou falando. 

16 comentários:

Lúcia Soares disse...

Giovanna, não perca o entusiasmo com o blog, ele nos une, nos dá forças, muitas vezes. Continue por aqui. Conheci você através da Glorinha, acho que ela lhe daria forças pra continuar. A Blogagem Colorida colocou tantas pessoas em sintonia, que Glorinha nunca morrerá em nossos corações. Volte a escrever, ela ficará feliz.
Escrevi no dia, hoje não poderia fazê-lo de novo.
(Está lá no blogue, no dia 05/04).
Fique bem, acalme seu coração, desbafe, escrevendo. De minha parte, estarei sempre aberta a lhe ouvir e se puder ajudar, será com muito gosto.
Beijo, minha amiga.

Macá disse...

Giovanna
Faço minhas as palavras da Lúcia.
Eu também já desanimei tantas vezes do blog, mas olhe: foi através dela que me animei, ao ver a Blogagem Coletiva "Cores". Achei que era um momento legal e comecei com a cor azul. A partir dali, fui conhecendo as pessoas e suas histórias.
Estamos juntas nas alegrias, nos anseios, nas dúvidas, divergências de ideias, e até nos momentos tristes como este.
um beijo grande

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida Giovana
Amiga, sei o quanto gostou dela e ela de vc... deu pra perceber, com clareza, em todos os posts que vcs falavam uma da outra...
Persevere!!!
Aqui também tem gente boa e honesta... amiga de verdade... é como a vida real...
Não podemos deixar pagar os inúmeros bons que conhecemos por um ou outro que não vale a pena!!!
Bjm de paz, pesar e pascal

She disse...

Oi minha querida, que bom que a Glorinha te fez vir aqui, sempre foi isso que ela fez, agregar e unir a gente. Ficou linda a sua homenagem, muito emocionante. Fica bem, querida! ;) Beijo, beijo e carinhos!
She

Maria Célia disse...

Oi Gi
Que pena você ter desanimado com o blog.
Linda homenagem você prestou à Glorinha, com certeza ela deve estar feliz lá no Céu.
Bjo pra você.

Misturação - Ana Karla disse...

Gi a blogosfera tem muitas lembranças.
Gostei tanto da sua homenagem.
Xeros

pensandoemfamilia disse...

Oi Gi
Esta manifestação da globosfera é uma forma de registrarmos esta sua passagem que deixa marcas em cada uma das pessoas com que interagiu, bem como de tudo que sua sensibilidades nos trouxe, através de dos seus versos e prosa e livro, intensos, como ela propria foi.
Saudades de vc, bjs,

Yoyo disse...

Oi Gi...
Pois é amiga, a Glorinha escreveu algo incrível no seu texto que aqui vc publicou:
"...Ela tem uma força estranha dentro de si, uma voz tamanha...". Ela, Glorinha tinha exatamente isso e embora a sua voz tenha sido calada, o seu corpo tenha partido para longe de nós, a sua força,a sua luz e seu brilho estarão sempre conosco.
Não quero mais ficar longe dos meus amigos blogueiros, quero voltar a conviver com vocês pelo menos uma vez por mês, Gi...por favor, volte também.
Bjo no cuore

Gina disse...

Foi essa força estranha que fez você estar aqui novamente, lembrando momentos felizes.
Não tinha lido ainda esse texto da Glorinha. Que lindo, Gi! Ela captava e traduzia sentimentos de uma forma pungente.
Fique em paz!

Beth/Lilás disse...

Gi amigona!
Você era mesmo muito querida pela Glorinha, ela se preocupava contigo e seus problemas de ordem familiar.
E ela tinha respeito pela sua posição religiosa, mesmo não acreditando em nada.
Assim como foi comigo também, apesar de divergirmos em alguns pontos, havia respeito e amizade entre nós.
Glorinha será uma amiga inesquecível para mim e só o que desejo agora é que ela esteja num lugar feliz, confortável, sem as dores que carregou nos últimos meses.
Obrigada pela sua sempre amizade.
grande abraço carinhoso

angela disse...

grata por estar aqui conosco prestando esta linda homenagem. bjs

Liliane Blog Sonhar e Ser disse...

Gi...
florizinha
hj ainda pensei tanto em você.
do meu jeito eu rezei por vc.
e sei que a Glorinha também gostava de você....
Percebemos isso no jeito que ela falava de você, nos comentários e neste texto profundo....
Lindo lindo o seu gesto de voltar para homenageá-la.
eu também estou com dificuldades pra voltar a blogar, mas como a blogosfera nos sustenta, não é?
a própria Glorinha foi uma grande amiga e exemplo pra mim.
Que ela descanse bem tranquila e feliz.
beijos.

Isadora disse...

Oi Gi muito triste ela ter partido tão cedo, mas ela com certeza deixou um legado que foi reunir tantas pessoas. Linda homenagem a ela que deve estar com um grande sorriso.
Um grande beijo

Jacinta Dantas disse...

Pessoas queridas, quando se despedem de nossas vidas, e, desse jeito tão ímpar, como na despedida da Glorinha, fazem o vazio parecer ainda mais vazio. Mas, com o tempo, o sentimento vai virando saudade e o que vai ficar é a recordação do que se viveu junto.

Bonita homenagem Giovanna.

Um beijo

Socorro Melo disse...

Oi, Giovana!

A Glorinha, apesar de não tê-la conhecido pessoalmente, penso que foi um grande ser humano. Aprendi muito com ela, nesse curto espaço de tempo, nas interações que fizemos. Senti muito a sua falta, e a relembro com saudades...

Bela homenagem! E como foi importante reler o texto escrito por ela.

Paz e Bem!
Socorro Melo

Fernanda Reali disse...

Eu não conheci a Glorinha, mas quem a conheceu sempre fala bem dela. Teu texto é bem tocante. Beijooo